DP - Admiti que sou impotente perante o álcool e que havia perdido o domínio da minha vida.

IMPOTÊNCIA
 
 
Pela pouca experiência que tenho do programa de recuperação de Alcoólicos Anônimos, o Primeiro Passo para mim é o passo vital em busca do caminho da sobriedade. Quem se dispõe a admitir a derrota total com o copo na mão? E ainda mais: cheio de orgulho, arrogância e prepotência? Este era o meu caso.
 
Em nenhum momento eu aceitava ser um alcoólatra, um bebedor compulsivo, descontrolado, pois sempre que alguém falava da minha maneira de beber, achava que foi só naquele dia, e que nas próximas vezes com certeza eu iria me controlar. Mas a cada dia eu piorava, pois o alcoolismo é uma doença progressiva.
 
Conheci o Programa de Recuperação de A.A. e me entreguei à prática do Primeiro Passo: – "admiti que sou impotente perante o álcool e que havia perdido o domínio da minha vida"; o fiz dentro da minha casa cheio de ressaca. Graças a um Poder Superior a mim, que hoje concebo como um Deus amantíssimo, e a ajuda que encontrei em Alcoólicos Anônimos, estou evitando o primeiro gole e sinto-me feliz sem a bebida.
 
 O primeiro passo fala muito em impotência pessoal e derrota total e a Literatura de A.A. nos esclarece bem inclusive aos jovens que estão chegando! Eles não passam mais pelo terrível massacre do alcoolismo que passaram os mais velhos por falta de conhecimentos.

 
O Primeiro Passo levou-me a admitir o fundo de poço; a. aceitar a derrota e impotência perante o álcool; a perda do domínio sobre minha vida sugerindo despojar-me de todo meu orgulho para começar uma vida nova feliz e significativa. Como membro de Alcoólicos Anônimos tenho o direito de errar, falhar em todos os passos, mas rogo ao Poder Superior jamais falhar neste Primeiro Passo, pois se isso acontecer será fatal para minha vida

(Vivência nº 99 – Jan./Fev. 2005)