Artigos - A.A. 2013 Traga + 1

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR:

1. Por que o AA parou de crescer?

2. Por que os grupos estão esvaziando?

3. Por que os ingressantes não estão ficando?

4 -AONDE ESTAMOS ERRANDO?

A resposta as perguntas é uma só: Como membros de AA,nós paramos de fazer o 12º passo com o bebedor problema, o possível novo membro de AA. Somos servidores que não fazemos o trabalho básico da irmandade: levar a mensagem ao alcoólico que ainda sofre 
( o que ainda está bebendo). Nossa sugestão é TRAGA MAIS UM através da abordagem direta.

“Quando outras atividades não resolvem, isto funciona” Texto do 7º capitulo do livro azul referindo-se ao 12º passo. Bill sempre usou os princípios da recuperação para resolver os problemas de AA.

Bill escreveu no “AA Atinge a Maioridade” o seguinte:”Nos anos que se seguirão, AA certamente cometerá erros. A experiência nos ensinou que não devemos ter medo de fazê-los, desde que continuemos dispostos a admitir nossas falhas e a corrigi-las prontamente. 

Nosso crescimento como indivíduos tem dependido desse salutar processo de tentativas e erros. Também acontecerá ao nosso crescimento como irmandade.

Lembremo-nos sempre que qualquer sociedade de homens e mulheres que não puder corrigir seus próprios erros certamente entrará em declínio senão em colapso.

Assim como cada membro de AA deve continuar a fazer seu inventário moral e a se corrigir, também desse modo deve a sociedade, se queremos sobreviver e se pretendemos servir bem e com eficiência.” Bill

1 – POR QUE O AA PAROU DE CRESCER?

Sem visitantes e novatos não podemos crescer. TRAGA MAIS UM e isto se resolveria.

Os nossos meios de divulgação na sociedade não tem dado resultado. Os visitantes não tem chegado nos grupos por estes meios ( com raras e insignificantes exceções). Os trabalhos de CTO não tem conseguido trazer novos membros em quantidade mínima para manter o AA em crescimento.

2 – POR QUE OS GRUPOS ESTÃO ESVAZIANDO?

Sem visitantes e novatos o grupo se esvazia. TRAGA MAIS UM e isto se resolveria.

O grupo deveria ser animado de um único propósito: transmitir a mensagem ao alcoólico que ainda sofre ( o visitante e o novato), se não temos visitante e novato o grupo desanima, não tem vida, não atrai, se esvazia e morre.

O visitante e o novato nos disciplinam: Se não fizermos o certo; ELE VAI EMBORA.

A – MENSAGEM.

O VISITANTE E O NOVATO DISCIPLINAM NOSSA MENSAGEM.

Se eu não contar como eu era e como estou agora; ELE VAI EMBORA.

Se eu for a cabeceira de mesa para dar aula do programa e não mostrar como apliquei o programa para melhorar minha vida; ELE VAI EMBORA.

Se eu der retorno de depoimento, ou der vazão aos meus anseios de prestígio, poder, orgulho, prepotência, auto-suficiência etc; ELE VAI EMBORA.

Enfim qual é a mensagem de AA? A MENSAGEM DE AA É O ALCOÓLICO EM RECUPERAÇÃO. A mensagem de AA não é o programa de AA e nem a exposição de seus princípios. A MENSAGEM É A HISTÓRIA DO SEU DESPERTAR ESPIRITUAL.

“A MENSAGEM É TRANSMITIDA PELA LINGUAGEM DO CORAÇÃO E ESTA QUALQUER UM É CAPAZ DE ENTENDER E DE USAR.”

Muitos companheiros tem imitado na sua mensagem a forma de falar do profissional terapeuta, educador ou teólogo e esquecem 
que esses profissionais falam do alcoolismo dos outros e por isto podem divagar sobre psicoterapias, princípios espirituais ( 12 passos
desvinculados da prática) ou fazer generalizações, mas nós falamos da nossa vida, esta é a grande força de nossa irmandade, é o que lhe dá identidade, eficiência e qualidade na transmissão da mensagem. 

B – UNIDADE

O VISITANTE E O NOVATO PRESERVAM NOSSA UNIDADE.

Ninguém vai deixar explodir descontroles emocionais com visitante no grupo. Nossos anseios pessoais tem que ser silenciados em benefício de todos, vamos ter que encontrar formas de resolver nossas diferenças sem destruir o grupo.
Os novos diante de um desentendimento dos mais antigos, VOLTAM PARA O BAR.

Se a autoridade no grupo não for a Consciência Coletiva e tivermos um chefe, o visitante pode não se identificar E SE AFASTAR.

Enfim o visitante e o novato nos fazem praticar as tradições preservando nosso grupo. TRAGA MAIS UM e você vai ver seu grupo praticando as tradições, até a 7ª melhora.

3 – POR QUE OS INGRESSANTES NÃO ESTÃO FICANDO?

Se um não ficar, não desanime. Continue e traga mais um . No começo Bill trabalhou 6 meses sem conseguir trazer nenhum e ele não desistiu, aperfeiçoou seus métodos e salvou a minha vida.

Sem visitantes e novatos na sala esquecemos de contar a nossa história de recuperação e as diferenças internas ameaçam nossa unidade. Sem mensagem e sem unidade, não existe espiritualidade, o grupo não tem atração. Ao companheiro só resta o afastamento.

A solução é TRAZER MAIS UM. Contar sua história de recuperação, usando a linguagem do coração e a praticar as tradições para manter o grupo.

4 – AONDE ESTAMOS ERRANDO?

ESTAMOS ERRANDO PORQUE PARAMOS DE TRAZER MAIS UM, PARAMOS DE FAZER O 12º PASSO.

Parece que fomos vitimados pelo núcleo de nossa doença,o egocentrismo, nos recusamos a doar todo o tesouro que recebemos. Se não fizermos um 10° passo reconhecendo nosso erro e corrigi-lo, estamos fadados ao fracasso como liderança e a morte como irmandade.Nossa liderança atual não tem sido capaz de analisar a situação e propor saídas. É urgente que se reconheça a situação crítica que estamos vivendo, e nos dispormos a perguntar aonde estamos errando? E buscar respostas.

Temos a certeza que nossos servidores atuais são abnegados, gratos e apaixonados pelo nosso AA e tem capacidade de liderança, mas precisam se abrir, saindo da negação e pensar outras práticas diferentes das atuais,
priorizando as atividades que possam reverter esse quadro. Nossa sugestão é voltar a priorizar o trabalho do 12º passo, junto ao bebedor problema, transmitindo-lhe a mensagem de AA. Todos os trabalhos atuais devem ser mantidos que serão novamente importantes quando os grupos voltarem a crescer.

Na nossa opinião a situação atual pode ser explicada a partir da “Mudança na Matriz”, que foi o tema de uma Conferência Nacional no início dos anos noventa, que reconhecia que nossa irmandade não conhecia e nem se utilizava
do programa de AA. E desenvolveu um esforço para conhecê-lo; incentivou as reuniões literárias e temáticas, neste momento apareceu com destaque um novo membro de AA que se diferenciou do conjunto. Era o companheiro que tinha
facilidade de ler e interpretar a literatura. Inicialmente esse companheiro começou a defender o conhecimento do programa de AA que era maravilhoso e devia ser praticado por todos, neste intuito começou a cobrar e a discriminar os companheiros que não tinham a mesma facilidade de ler e interpretar, chamou seus depoimentos de “cachaçal” denegrindo-os, diziam que eles não conheciam a mensagem de AA, inibindo-os inicialmente e depois impedindo-os de levarem a mensagem, pois diziam em tom ameaçador: “você está preparado para transmitir a mensagem?” ou “ conheça a literatura para transmitir a mensagem correta”, “cuidado a mesma mensagem que salva pode matar”. Enfim, induzindo os companheiros a não levarem a mensagem sem saber. Acabaram por criar um corpo de companheiros especiais aptos a transmitirem a mensagem, eram muito parecidos com professores da programação de AA. Organizaram os CTOs e passaram a trabalhar com as “terceiras pessoas”, restringindo drasticamente nossa penetração na comunidade. . O pessoal do "cachaçal" se afastou dos trabalhos e até dos grupos, eles não eram mais portadores da mensagem de AA,só o "professoral" podia transmitir a mensagem. Foi a vitória da razão sobre a emoção, foi um duro golpe na linguagem do
coração, a perda afetividade na irmandade foi muito profunda. Muitos não voltarão. Vejam as últimas palavras, cheias de afetividade, do Dr. Bob na sua última participação em uma Convenção, antes de nos deixar: "E mais uma coisa: Nenhum de nós estaria aqui hoje se alguém não tivesse usado seu tempo para explicar as coisas para nós, para nos dar uma palmadinha nas costas, para nos levar a uma ou duas reuniões, para fazer numerosas pequenas ações generosas e atenciosas em nosso benefício."

Aquele companheiro que trazia mais um deixou de fazê-lo e o CTO não conseguiu trazer novos companheiros na quantidade mínima para manter nossa irmandade em crescimento. Não estamos conseguindo renovar nossos servidores, nossas dificuldades financeiras são ameaçadoras, estamos mantendo a duras penas a estrutura de AA que herdamos dos tempos em que se trazia mais um. Ou reconhecemos esta situação e fazemos um 10º Passo coletivo, admitindo prontamente nossa falha e pedimos desculpas ao pessoal
do "cachaçal" e solicitamos a sua ajuda para nos ensinar a fazer abordagens ou pereceremos. No nosso Manual de Serviço no capítulo " O Legado de Serviço de AA", Bill nos diz o que é o serviço em AA. E temos feito o que lá é sugerido; temos levado a mensagem, feito todo o serviço que ajude a alcançar uma pessoa que sofre, seja pelo telefone, servindo café, mantendo a sala aberta, fazendo o Escritório local e nacional funcionar, participando da estrutura de AA local, nacional e internacional. Temos colocado em pratica,dentro de nossas limitações, as orientações do manual do CTO . Apesar de estarmos fazendo tudo isto temos uma constatação que os números indicam que o AA no Brasil esta decrescendo. Hoje já não temos 6.000 grupos e sim 4.300 grupos e que a grande maioria dos grupos esta esvaziando, em muitos abnegados companheiros estão mantendo as portas abertas sem perspectiva de melhoras. A fragilidade dos grupos reflete na fragilidade dos órgãos de serviço e vice-versa, não existe renovação de servidores, falta dinheiro, etc.......É urgente que perguntemos: aonde estamos errando? Apesar de toda a dedicação de nossos servidores o quadro
não se inverte. É preciso reconhecer que nossas práticas não estão dando resultados, não adianta esperar resultados diferentes se as práticas são as mesmas. Nossa proposta é manter todos os serviços que estamos desenvolvendo, mas estabelecer uma prioridade de ação: O trabalho intensivo com o bebedor problema, o possível novo membro de AA , a nossa oportunidade de ajudar e crescer.

Nos últimos 20 anos temos priorizado atividades de estudos de nossos princípios, uma conscientização necessária para a mudança na matriz, agora é hora de colocar em prática essa conscientização, mas os grupos estão sem visitantes e novatos e nós temos a opção de continuar estudando e ver o AA desaparecer ou aceitar que negligenciamos no trabalho do 12º Passo, arregaçar as mangas e trazer mais um para seu grupo. É hora de superar discriminações e juntar o que tem de bom no"cachaçal" e no professoral" .

Se nos comprometermos a trazer mais um este ano para o nosso grupo e se nosso grupo tem hoje 5 membros o ano que vem terá 10 membros , no segundo ano terá 20, em 3 anos teremos 40 companheiros no grupo, em 5 anos já seriamos 160 membros , nesta altura já teríamos pelo menos mais três grupos na região. Isto não é utopia, nos anos 80 , nos tempos em que se trazia mais um e os companheiros contavam suas histórias de vida em recuperação, o AA crescia nessa velocidade e vigor. Só na Serra foram criados nesse período uns dez grupos. 

TODOS OS NOSSOS PROBLEMAS ATUAIS TEM UMA SÓ SOLUÇÃO; TRAGA MAIS UM.

Nas últimas décadas o AA não tem estimulado a prática de abordagem. Os mais veteranos não fazem este trabalho e os novos não tem com quem aprender e nem são estimulados, pelo contrário são desestimulados , pois segundo os veteranos deveriam primeiro conhecer a literatura para levarem a mensagem correta, o fato é que vamos ter que aprender juntos a fazer este trabalho vital para o AA. Nossa proposta é criar nos grupos uma COMISSÃO DE ABORDAGEM. Que seria uma forma de organização que teria a função aprender e
estimular a prática da abordagem.

A COMISSÃO DE ABORDAGEM estimulará os seus integrantes a desenvolverem sua habilidade pessoal no trabalho de abordagem ao bebedor problema, o possível novo membro de AA.

Este trabalho realizado de forma coletiva tem várias vantagens: 

1º - Os mais habilidosos para esta atividade estarão compartilhando sua experiência, o resultado é que mais companheiros estarão aptos para executarem o 12º passo e quem ganhará com isto será o grupo e por extensão todo o AA. 

2º - Para executar este trabalho de forma coletiva é necessário marcar uma hora, um local, programar a abordagem, isto disciplina a nossa vontade pessoal de fazer o 12º passo, criando um compromisso com os companheiros e com o grupo, desta forma com certeza, estaremos realizando mais abordagens do que faríamos por iniciativa individual. 

3º - Este trabalho feito coletivamente ameniza os possíveis erros individuais e os méritos do possível crescimento do grupo seriam de todos, da consciência coletiva, por ter optado por trabalhar em grupo. Evitando dessa forma o estímulo a personalismos, tão em choque com o princípio do anonimato, que como declara nossa 12ª tradição :" É a humildade em ação".

Sozinho eu não posso transformar essa realidade. Mas

QUE COMECE POR MIM.

Distrito:08 - ES.