Artigos - A Espiritualidade do CTO à Luz de sua Ação

Trabalhar na espiritualidade do CTO é algo de muito íntimo e intensamente iluminado.

A experiência concebida no exercício de sua ação coloca o Programa de Alcoólicos Anônimos disponível no relacionamento constante e salutar com a comunidade profissional em qualquer tempo e lugar.

Sabemos que a nossa dificuldade nasce da não compreensão; do não cumprimento; e da não praticidade com relação às Recomendações aprovadas nas reuniões das Conferências de Serviços Gerais (CSG).

Estamos colocando agora como sugestão:

O CTO como poderá entrar em ação?

Primeiramente por entender¬mos que trabalhar com os outros significa levar o conhecimento que temos como ajuda e que destes encontros tenhamos como resultado a qualificação de um bom trabalho do CTO. A competência de tudo ser feito com os outros sem formalidade e reconhecer o que eles representam nos possibilita a divulgação de A.A. a um novo crescimento.

A nossa habilidade que tanto nos identifica é de fundamental importância para fazer chegar a mensagem ao alcoólatra e a sua família.

Lembramos ainda da necessidade de conhecermos o Manual de Serviços; a organização de um programa de atividades; da responsabilidade na elaboração eficiente da padronização da mensagem, sem esquecer que a nossa recuperação é fruto dos nossos trinta e seis (36) princípios.

Portanto, a espiritualidade existente no exercício do CTO à luz de sua ação, assemelha-se a um bom servidor, que imbuído dos seus sentimentos e das suas emoções, coloca nas mãos do Poder Superior a consistência espiritual transformadora para manter as portas de A.A. sempre abertas.

Por onde começar um grande trabalho?

Estamos colocando aqui a sugestão de como um grupo de trabalho deve desenvolver o senti¬mento de unidade para um bom desempenho do servidor.

O CTO quando em ação reflete de imediato a mensagem de A.A. com eficácia e com visível bem-estar comum: a) das relações que conseguimos estabelecer com os outros somos o seu resultado; b) cada encontro com os outros nos possibilita uma nova modificação (crescimento) ; c) a responsabilidade e os resultados de¬pendem da habilidade de quem melhor souber transmitir a mensagem de A.A.

Entretanto, ainda entre outras razões, continuamos com a mesma dificuldade na colaboração e na compreensão do nosso serviço. Sabemos e conhecemos que a boa vontade é uma disposição sublime da solidariedade e que independentemente de ser mos servidores ou não, formamos Comissões com responsabilidade e ação.

Existe a necessidade premente em entender que somos o elo mútuo da mensagem de A. A. e que precisamos de nossos companheiros( as) para realizar nossos serviços.

Temos que exercitar a maneira de sermos amistosos; simpáticos; sinceros e honestos em nossas relações. Dessa forma poderemos manter um ótimo relacionamento e respeito às diferenças individuais de cada um, o que amenizaria e muito os desentendimentos nas nossas tarefas diárias.

Planejar em conjunto; organizar-se com cooperação e cordialidade é de fundamental importância num grupo de trabalho e, no nosso caso é bom lembrar que o companheiro que caminha ao nosso lado, com certeza, tem a mesma essência idealizadora na realização do trabalho e expectativa do resultado do mesmo.

Vivência 92 - nov/dez. 2004