Artigos - Alcoólicos Anônimos Amanhã

(BIL W. - Julho de 1960)

''Temos alguns maravilhosos vislumbres do programa de funcionamento de Alcoolicos Anonimos no vigésimo quinto aniversário de sua fundação. Agora vem a pergunta: Para onde vamos a partir de agora? Quais são nossas responsabilidades para hoje e para o amanhã?

É claro que o nosso primeiro dever com o futuro de A.A. é manter plenamente o que temos agora.Isso só pode assegurar com a mais cuidadosa vigilância. Nunca devemos adormecer numa condescendente satisfação pelos grandes aplausos e êxitos que nos dão e reconhecem.

Essa é a sutil tentação que poderia paralizar e,talves nos desintegrar amanhã.Sempre temos recobrados as forças para enfrentar e transceder os fracassos e as crises; os problemas tem sido os nossos estimulantes.Entretanto,será que sermos capazes de enfrentar os problemas do êxito?.

Durante os últimos vinte e cinco anos é certo que vinte e cinco milhões de homens e mulheres em todo o mundo padeceram de alcoolismo.Alcoolicos Anonimos conseguiu recuperar apenas duzentos e cinquenta mil (atualmente existem aproximadamente dois milhoes de pessoas em recuperação em A.A.). O restante esta,porém, fora do nosso alcance e alguns casos ja não tem esperanças. Outra geração de bêbados esta em formação agora mesmo. 

Dando-nos conta da situação, haverá alguns de nós que se acomodem placidamente em
suas cadeiras e digam: Bem
senhores,aqui estamos.Esperemos que saibam de nós e venham aqui. Que sabe então poderemos dar-lhes uma mão?'' Com certeza não faremos isso. Sabemos que estamos abrindo,cada fez com mais amplitude,qualquer meio ou canal concebível por intemédio do qual podemos chegar até esses nossos irmãos.

Lembraremos do Dr. Bob. e sua maravilhosa colaboradora,Irmã Ignácia,na forma como trabalharam em Akron.
Lembraremos os muitos anos em que o Dr. Willian D. Silkhorth trabalhou sem descanso para nós.
Dez mil companheiros em nossa Irmandade,que estão por ai,recordaram que devem literalmente suas vidas a essas três pessoas.
Cada um de nós lembrará de seu proprio padrinho,aquele que teve a responsabilidade de ajudar em nossos primeiros dias.

Como herdeiros de uma tradição de serviço,quantos poderiam dizer assim: ''Deixe que fulano faça o trabalho do décimo segundo passo.De qualquer maneira ele gosta de trabalhar com bêbados.Além disso,estou muito ocupado'' Com certeza não seriam muitos. A condescendência seria impossivel.

A grande idéia sobre nossa responsabilidade futura pode ser esta: ''Estou pensando sobre o problema total do alcool e dos que tem de sofrer aterradoras consequências do alcoolismo? Seu numero é imenso'' Apesar de agradecer pela nossa Irmandade não se imiscuir em programas de educação sobre o alcool ou em quaisquer outras atividades do gênero,que se relacione com o problema geral do alcoolismo,sabemos que como cidadãos bem informados,a muito trabalho que podemos e devemos fazer nesses campos.

Programas dessa espécie,públicos e privados,estão surgindo por todos os lados,reconhecendo o fato de que o alcoolismo é um problema de saúde da maior prioridade. Sou de opinião que muitos de nós estamos atentos aos poucos erros que ocorrem,principalmente daqueles companheiros em A.A. (os dos dois chapéus) que trabalham neles e muitas vezes falhamos não dando a estas pessoas o incentivo que precisam.

Agora que nós  de A.A. nos unimos em torno de nosso objetivo e das Doze Tradição,o risco de ser prejudicado por alguma coisa que se faça nesses programas de fora,virtualmente não existe.Voces não acreditam que se fossemos mais amistosos e cooperássemos mais amplamente com essas instancias externas,isso nos levaria a incontáveis alcoolicos que de outra maneira estariam perdidos.

Talves estejamos começando a ver as coisas de um modo muito especial. Talves estejamos bloqueando uma comunicação que tem um tremendo potencial. Por isso não devemos reconsiderar o assunto? Quase todos nós,quando pensamos,concordamos que em todos esses campos estamos longe de chegar a ser adultos sobre qualquer ponto de vista. Podemos ver claramente que nosso trabalho como indivíduos e como Irmandade, é nos manter crescendo através do uso constante dos nossos Doze Passos.

Nossa Irmandade conseguiu,embora apenas um pouco, o sonho de ''um mundo melhor'' dos filósofos. Nosso mundo é um mundo com o qual podemos não concordar totalmente,porém sem nunca pensar em conflitos ou cisma como solução. Porque tínhamos a certeza que nosso ''mundo de A.A.'' é um presente de Deus e existe não por alguma virtude que tenhamos criado. 

Para que nosso ''mundo melhor'' continue cada vez mais disposto a auxiliar aqueles que precisam dele é necessário que sigamos falando e atentamente melhorar a linguagem do coração,assim podemos aceitar também,sem vacilar,fazer o que em qualquer encontro com o destino Deus queira que façamos''.

Guia do CTO