Artigos - Até que ponto o anonimato?

Via de regra, o recém-chegado queria que sua família ficasse logo inteirada daquilo que ele estava tentando fazer. Ele também queria contar aos outros que tinham tentado ajudá-lo: seu médico, seu ministro religioso e amigos íntimos. Assim que obtinha confiança, ele se sentia no direito de explicar seu novo modo de vida para seu patrão e colegas de trabalho. Quando surgia oportunidade de ser útil, ele achava que poderia falar com muita facilidade acerca de A.A., a quem quer que fosse.  Essas discretas revelações ajudavam-no a perder o receio que tinha do estigma alcoólico e a propagar a notícia da existência de A.A., em sua comunidade. Muitos homens e mulheres vieram para A.A. por causa disso. Como é esperado que esse anonimato seja apenas, a nível público, essas comunicações estavam bem dentro de seu espírito.

As Doze Tradições, págs. 60 e 61   ---  
NA OPINIÃO DO BILL 43