Artigos - Box 4-5-9 >>> Introdução / Apresentação




Pequena Viagem Ao Mundo de A.A. Através dos Artigos do Box 4-5-9 Desde Maio de 1956. 
“Grátis: informação sobre A.A. que você não obterá nas reuniões”
http://www.aa.org/lang/sp/sp_pdfs/sp_box459_holiday06.pdf 
Este exemplar pertence a Wagner Terzi
Edição abril 2014




Introdução 

“É possível que a resposta a qualquer pergunta que lhe possa ocorrer referente a Alcoólicos Anônimos apareça em algum número do Box 4-5-9. Neste boletim, os Grupos contam seus problemas e soluções coletivos, os membros falam de seu entendimento pessoal do programa, e os servidores compartilham formas inovadoras de levar a mensagem. Os artigos variam desde reportagens do acontecido na Conferência de Serviços Gerais até a informação a respeito das pessoas e eventos que deram forma à Irmandade no passado, e um panorama fascinante de temas....”. 

http://www.aa.org/lang/sp/sp_pdfs/sp_box459_holiday06.pdf

Muito importante: os textos contidos nesta apostila fazem parte da literatura de A.A. pela Conferência de Serviços Gerais dos EUA/Canadá (exceto os artigos não extraídos do Box 4-5-9). Entretanto, se por ventura houver alguma posição já tomada ou que venha ser adotada pela Conferência de Serviços Gerais de A.A. do Brasil, JUNAAB, ou ESG no Brasil, através de seus relatórios e boletins oficias, com interpretação diferente dos assuntos nesta apostila tratados, sua versão deverá sempre preceder e prevalecer aos textos aqui transcritos. As transcrições foram feitas por um AA unicamente para membros e amigos de A.A. Seu propósito é levar aos novos membros um mínimo do conhecimento básico da fascinante história de A.A. que além de educativa, pode ser muito útil no processo de recuperação e incentivá-los a se aprofundarem na pesquisa e divulgação de nossas raízes e na preservação de sua linguagem universal. Esta apostila é uma coletânea de artigos recolhidos do boletim oficial do GSO – Nova York, Box 4-5-9, nas edições publicadas a partir de novembro de 1956, traduzidos da sua versão em español e divulgados com autorização de © Alcoholics Anonymous World Services, Inc., 2014, conforme notificação na página 8, da qual qualquer membro de A.A. ou órgão de serviço poderá fazer uso. O critério de seleção dos artigos por este transcritor foi intuitivo visando primeiro sua própria informação e a hipótese dessa informação poder ser útil ao seu Grupo base e/ou a quaisquer outros membros ou Grupos que a desejarem. Boa parte dos títulos dos artigos foi modificada para adequá-los ao formato pretendido pelo transcritor e ilustrações a alguns artigos foram introduzidas; entretanto, os títulos originais foram respeitados e aparecem junto aos créditos dos artigos. Não se pretende absolutamente dizer a quem quer que seja o quê e como fazer nem obriga a concordar com todo ou parte dos textos, nem contestar, questionar ou desqualificar opinião já formada, mas auxiliar na formação de opinião daqueles que a procuram, através da informação correta, livre de distorções, interpretações personalistas terceirizadas ou conveniências momentânea e contribuir para a afirmação dos membros na Irmandade e sua inclusão nos órgãos de serviço – Grupo e estrutura. 
“As experiências compartilhadas são como os rios que vão parar no mar, que é o conhecer... O conhecer que leva à mensagem correta e oportuna, que leva à ação, que leva à sobriedade serena e feliz...”.
Tudo de graça veio de grata-graça está indo. Se o conteúdo lhe for proveitoso, passe adiante nesse espírito. Obrigado.


Apresentação

O que é Box 4-5-9 

Box 4-5-9, Out. Nov. / 2002 (pág. 1-2) => http://www.aa.org/lang/sp/sp_pdfs/sp_box459_oct-nov02.pdf 

Título original: “Informa a tu grupo acerca del secreto mejor guardado de A.A. - Box 4-5-9” 

 ... O boletim informativo Box 4-5-9 tem quase o mesmo 
tempo de existência que o Escritório de Serviços Gerais. O primeiro 
número foi enviado no dia 11 de novembro de 1940, datilografado em 
formato de carta em uma folha de papel mimeografado, tamanho oito 
polegadas e meia por onze polegadas e no cabeçalho estava escrito 
“Boletim de A.A.”. Foi criado para satisfazer a necessidade de 
comunicação entre o que então se chamava a Sede Central e os
aproximadamente 150 Grupos conhecidos, e sua declaração de 
propósito refletia claramente as condições em que A.A. se encontrava 
naquela época; “Este boletim foi criado para fomentar o intercambio de ideais com o fim de 
estabelecer um sentimento mais intimo de amizade entre os Grupos de A.A. da Costa Leste e Oeste e 
esperamos evitar a secessão de nossas fileiras do Grupo de São Francisco que ameaçou com 
chamar-se ‘Dipsômanos Incógnitos’ a menos que tenham noticias nossas com mais frequência. 
Desde faz algum tempo vem-se considerando a possibilidade de criar um boletim porém a ideia foi 
sendo postergada devido à falta de pessoal e de espaço no escritório. Ao menos agora temos a 
equipe e esperamos poder fazer deste boletim uma publicação periódica”. 
O boletim estava assinado por Ruth Hock, a secretária não alcoólica de Bill W., e finalizava 
com um post-scriptum: “devido a que no momento não nos é possível fornecer copias suficientes 
para distribuir a todos os membros de A.A. talvez seja aconselhável que leiam este boletim em voz na reunião. 
Ao longo dos anos, Box 4-5-9 passou por uma série de mudanças e renovações. Em maio de 
1956, recebeu o nome de A.A. Exchange Bulletin - Boletim de Intercambio de A.A., e seu formato 
foi ampliado para um boletim de quatro páginas com cabeçalho, títulos e artigos. O primeiro número 
com o novo nome descrevia seu propósito em termos vigentes até os dias de hoje: “The Exchange 
Bulletin foi criado para satisfazer inúmeras petições para ter uma publicação concisa e para todo o 
movimento onde apareçam noticias da Sede, informação básica sobre A.A. em geral e comentários 
breves que expliquem a maneira com que os Grupos de A.A. de todas as partes do mundo resolvem 
determinados problemas”. Eram conclamados os RSG ́s e secretários dos Grupos a “informar à 
Sede de como o Boletim podia ser cada vez mais útil nos assuntos dos Grupos”, e avisava que 
“devido às óbvias limitações de espaço, somente poderiam ser tratados assuntos de interesse geral”.
As noticias da Conferência de Serviços Gerais daquele ano incluíam a informação de que existiam 
6.249 Grupos nos EUA e Canadá totalizando 135.905 membros. Na página dois aparecia um 
destaque com um artigo titulado “Zig-Zag”, que oferecia algumas ideias a respeito de uma
determinada maneira de levar a mensagem: “Um membro de A.A. de Porto Rico informa que enviou 
literatura a um homem em Madrid a pedido de um padrinho a quem originalmente lhe havia pedido 
sua colaboração um membro irlandês que conhecia o padrinho através de uma mulher membro de 
Boston, Massachussets... Bom, o importante é que chegou lá”.
Beth K., membro do pessoal do ESG que se aposentou em 1983, lembrava que tinha que l
azer à mão a montagem do boletim no começo dos anos de 1960. “Publicar o boletim era um 
assunto de azar, de último minuto. Tudo era feito no escritório, exceto a impressão. Todos estavam 
muito atarefados e parecia nunca haver tempo suficiente para fazer adequadamente o trabalho”. 
Outra funcionária do ESG, a antiga arquivista não alcoólica Nell Wing, disse: “O escritório ficava 
num prédio bastante lúgubre no número 415 da Avenida Lexington e se nos pagava mais com amor 
do que com dinheiro. Em 1966, criei coragem e pedi um aumento. Consegui, $5,00, e com isso a 
de publicar o boletim. Aquele aumento me custou muitas dores de cabeça”. 
Por sugestão de um membro, a partir da edição de natal de 1966, 
foi mudado o nome do boletim para o número da caixa postal do ESG 
que então era, e continua faser,  459, passando a se chamar Box 4-5-9. 
Agora uma publicação ilustrada de doze páginas, com uma apresentação 
clara e moderna, o boletim é enviado a mais de 52.000 Grupos do 
mundo todo e também a milhares de indivíduos, esta disponível em
inglês, francês e español. Os dias de montagens apressadas feitas à mão,j
á são coisa do passado.Atualmente, esse trabalho está nas mãos do 
Departamento de Publicações do ESG: o/a chefe de redação planeja a 
colocação dos artigos e das ilustrações, e a composição final e feita num 
equipamento de edição eletrônica de última geração. A impressão e a remessa de aproximadamente 
60.000 exemplares ficam a cargo de uma empresa terceirizada. 
 Desde seu começo, Box 4-5-9, tem refletido a situação da nossa Irmandade, e na medida em 
que A.A. foi-se expandindo também foi sendo acompanhado pelo conteúdo do boletim. Atualmente, 
nos artigos se incluem noticias relacionadas com o serviço de A.A., particularmente no campo das 
instituições correcionais e de tratamento, de informação ao público e de cooperação com a 
comunidade profissional. Os artigos compartilham a experiência dos membros nos assuntos básicos 
– apadrinhamento, a prática dos Passos e das Tradições, problemas dos Grupos base e soluções, e 
ampliam a nossa experiência com as notícias da Irmandade nos EUA e Canadá e outros artigos a 
respeito dos acontecimentos de A.A. no mundo todo. Há relatórios de Distritos e programas e 
projetos de Área que ajudam a levar a mensagem ao alcoólico que sofre, informação sobre a 
estrutura de serviço para os membros que se estão iniciando no serviço – e para os experientes 
também. Aos leitores são dados a conhecer os novos Custódios não alcoólicos da Junta de Serviços
Gerais e os novos funcionários do ESG... 
Em outras palavras, a próxima vez que você queira saber qualquer coisa a respeito de 
Alcoólicos Anônimos procure nas páginas de Box 4-5-9. Se não encontra a resposta, escreva umas 
linhas para a OSG: sua pergunta pode servir de inspiração para um futuro artigo.
Notificação de Direitos autorais 
© Alcoholics Anonymous World Services, Inc., 2014. Os artigos que aparecem no Box 4-5-9 
podem ser reimpressos em publicações locais de A.A. (incluindo sítios de A.A na Web), sempre que 
se reimprimam em sua totalidade e se inclua a seguinte declaração: "Reimpresso do Box 4-5-9 (data 
do número, página) com permissão de A.A. World Services, Inc."
Ver esta declaração em: http://www.aa.org/lang/sp/subpage.cfm?page=27 

Para saber mais: 
O Box 4-5-9 é uma publicação trimestral - Primavera (março), Verão (junho), Outono 
(setembro) e Inverno (dezembro) do GSO – General Services Office, ou, Escritório de Serviços 
Gerais de A.A (ESG) 475 Riverside Drive, New York, N.Y. 10115 - ©2014 
Alcoholics Anonymous World Services, Inc.
Endereço postal: P.O. Box 459, Grand Central Station, New York, NY 10163 
Endereço eletrônico): www.aa.org 
Ou, na Web => http://www.aa.org/lang/sp/subpage.cfm?page=27 => Escolha no canto 
superior direito o idioma => inglês, francês ou español - os três idiomas da estrutura de Conferência 
Sênior (EUA/Canadá). Você terá acesso direto a todas as edições do boletim Box 4-5-9 publicadas 
desde o exemplar de Maio/1956 (1), quando recebeu o nome AA Exchange Bulletin – 
anteriormente, desde sua criação em novembro de 1940, chamava-se Boletim de A.A.; passou a se
chamar Box 4-5-9 a partir da edição de Natal de 1966. Poderá selecionar as matérias de seu interesse 
ou que possam ser úteis ao seu Grupo, comissão ou órgão de serviço onde se doe. 
N.T. (1): No momento do envio desta apostila encontram-se disponíveis no endereço as seguintes 
edições
Em inglês, desde a edição de maio de 1956. 
http://www.aa.org/lang/en/subpage.cfm?page=27 
Em francês, desde a edição Julho/Agosto de 1966. 
http://www.aa.org/lang/fr/subpage.cfm?page=27 
Em español, desde Janeiro de 1962. 
http://www.aa.org/lang/sp/subpage.cfm?page=27 


I N D I C E

1.1. A origem da Declaração de Unidade 
1.2. A origem da Oração da Serenidade 
1.3. A origem da Reserva prudente 
1.4. A origem das Áreas e dos Painéis 
1.5. A origem das ilustrações nos materiais de A.A. 
1.6. A origem de “90 reuniões em 90 dias”
1.7. A origem do café e das bolachas nas reuniões de A.A. 
1.8. A origem do mês da Gratidão 
1.9. A origem do termo de Responsabilidade 
1.10. A origem dos Arquivos Históricos 
1.11. Um passeio pela história: Os Arquivos Históricos do ESG
1.12. A origem dos Escritórios de Serviços 

2.1. A transição das instituições de tratamento para os Grupos de A.A.
2.2. Fazer os novos se sentirem especiais – não diferentes
2.3. O Coordenador de Literatura no Grupo
2.4. O dilema dos Grupos de A.A.: Aquelas outras adições
2.5. O Grupo base
2.6. O Grupo de A.A... Onde tudo começa
2.7. Os enviados pelos Tribunais: A comunicação facilita sua transição para A.A.
2.8. Os AAs enfrentam o problema dos enviados pelos Tribunais
2.9. Perturbadores de reuniões
2.10. Seu Grupo está preparado para grandes eventos?
2.11. Sobre os problemas de um Grupo de A.A.
2.12. Todo Grupo de A.A. tem o direito de errar

3.1. A Reunião de Serviço 
3.2. O que é uma consciência de Grupo esclarecida
3.3. Consciência Coletiva – Texto do Dr. Lair Marques
3.4. Onde se origina a consciência de Grupo Esclarecida
3.5. Na “anarquia benigna” de A.A., a consciência de Grupo esclarecida é a última autoridade
3.6. Reuniões de A.A. abertas e fechadas: há uma diferença
3.7. Reuniões de A.A. em instituições de tratamento

4.1. A Conferência Internacional de Jovens em A.A. (ICYPAA)
4.2. Os Internacionalistas e Solitários
4.3. Círculos de sobriedade na Convenção dos Nativos Americanos
4.4. Como A.A. pode servir melhor às minorias
4.5. O que são os Grupos Especiais de A.A. Porque são necessários
4.6. Como fazer para que os idosos em A.A. continuem voltando
4.7. Os Jovens definem seu papel como o futuro de A.A.
4.8. Os Jovens em A.A.

5.1. A respeito de colocar a tradição do anonimato em primeiro lugar
5.2. Fotografias nos eventos de A.A.: Pensar antes de clicar
5.3. Mais perguntas sobre o anonimato
5.4. O anonimato – a humildade em ação
5.5. O anonimato diante do público
5.6. O anonimato e as redes sociais
5.7. O anonimato e os meios de comunicação
5.8. O anonimato nas reuniões “on line”
5.9. Quando abrir seu anonimato não é quebra de anonimato
5.10.Reflexões sobre o anonimato

6.1. Apadrinhamento: Como éramos 
6.2. Apadrinhamento: Outra forma de dizer A.A.
6.3. Apadrinhamento em A.A.: Suas obrigações e suas responsabilidades
6.4. Apadrinhamento: Uma via de mão dupla
6.5. Buscamos os principiantes onde eles estão?
6.6. Como fazer uma visita de Décimo Segundo Passo à moda antiga
6.7. Levar a mensagem, ou, a arte do Décimo Segundo Passo
6.8. O apadrinhamento no ingresso em A.A. evita que os principiantes saiam pelas rachaduras
6.9. Onde começamos a levar a mensagem e onde não fazê-lo
6.10. Para os Servidores do Décimo Segundo Passo: O que se deve e o que não se deve fazer 

7.1. A Aprovação da Literatura pela Conferência
7.2. Literatura aprovada pela Conferência
7.3. A evolução da Convenções Internacionais de A.A.
7.4. O que é uma Convenção para você? 
7.5. A evolução da Convenções no Brasil
7.6. A exclusão do Circulo e do Triangulo como símbolo oficial de A.A.
7.7. Usos e abusos dos símbolos de A.A.
7.8. A experiência dos Washingtonianos e o propósito de A.A.
7.9. A identificação – a essência do nosso vinculo comum
7.10. A primeira Conferência de Serviços Gerais
7.11. A respeito dos direitos autorais do Livro Azul
7.12. A.A. nunca deve ser organizada
7.13. Al-Anon e os laços que nos unem
7.14. Alcoólico recuperado ou em recuperação?
7.15. Alcoólicos Anônimos – o livro, um ícone cultura 
7.16. Alcoólicos Anônimos e a lei
7.17. Alcoólicos Anônimos e os alcoólicos com necessidades especiais
7.18. Algumas perguntas de membros e respostas do ESG
7.19. As “doze promessas” de A.A.
7.20. As Doze Tradições de A.A.
7.21. As Doze Tradições de A.A., ou, Os Filhos do Caos
7.22. Breve história do Escritório de Serviços Gerais – ESG
7.23. Como A.A. escolhe alguns dos seus servidores 
7.24. Os membros de A.A. funcionários do ESG
7.25. Seleção de pessoal para o ESG
7.26. Como o triângulo invertido faz funcionar a Irmandade
7.27. Como são feitas as traduções da literatura de A.A.
7.28. É preciso ser “alcoólico puro” para ser membro de A.A.?
7.29. Membros de A.A. Pesquisa 2011
7.30. Membros de A.A. que trabalham no campo do alcoolismo
7.31. Preenchendo o vazio entre o profissionalismo e A.A. (dois chapéus)
7.32. Meu nome é ..., e sou alcoólico/a
7.33. O espirito de cooperarão entre A.A. e NA (Narcóticos Anônimos)
7.34. O propósito único de NA
7.35. O Grupo de Oxford: Precursor de A.A.
7.36. “O homem na cama” ou, a abordagem ao AA no 3
7.37. O Livro Grande faz 50 anos como o “padrinho” mais eficiente de A.A.
7.38. O Livro Grande: pioneiro de A.A. impresso 
7.39. O membro de A.A. Medicamentos e outras Drogas
7.40. Para alguns alcoólicos, os medicamentos são necessários
7.41. O princípio da pobreza corporativa
7.42. O programa de A.A. não é religioso, mas espiritual
7.43. A espiritualidade se conhece pelas obras
7.44. Alcoólicos Anônimos e as orações
7.45. Os Doze Conceitos para o Serviço Mundial
7.46. Os livros eletrônicos (e-books), ou, como levar a mensagem em um mundo digital
7.47. Um propósito único
7.48. Unicidade de propósito de A.A.

8.1. Dr. William Duncan Silkworth 
8.2. Reverendo Samuel Shoemaker 
8.3. Ruth Hock Crecelius 
8.4. Dr. Harry M. Tiebout 
8.5. Dr. Harry Emerson Fosdick 
8.6. Clinton T. Duffy
8.7. Irmã Inácia 
8.8. Padre Edward P. Dowling 
8.9. Jack Alexander 
8.10. Bernard B. Smith 
8.11. Dr. John Lawrence Norris (Dr. Jack) 
8.12. Nellie Elizabeth Wing (Nell Wing) 
8.13. Pastor Professor Joaquim Luglio 
8.14. Tributo a Anne R. Smith (1881-1949)
8.15. Tributo ao Dr. Bob (1879-1950)
8.16. Despedida do Dr. Bob 
8.17. Tributo a Edwin T. Thacher (Ebby T.) (1896-1966)
8.18. Tributo a Bill W. (1895-1971)
8.19. Última mensagem de Bill W. 
8.20. Tributo a Lois B. Wilson (1891-1988)