DP - Expressão do nosso amor

Expressão do nosso Amor

“Tento convencer-me de que um coração pleno e agradecido não pode abrigar nenhum orgulho. Quando repleto de gratidão, o coração por certo só pode dar amor, a mais bela emoção que jamais podemos sentir.”
(Na Opinião do Bill)

Ao lembrarmo-nos da sanidade devolvida, do direito de pertencer adquirido, da oportunidade diária de crescer junto com nossos companheiros, de poder viver graças ao programa uma vida digna, integra e útil, somos tomados por um grande sentimento de gratidão.
Graças a Deus estamos vivos e sóbrios! Graças a Deus hoje sabemos o que é amar e, por isso, damos amor no nosso trabalho de levar a mensagem àquele que ainda sofre. Mas nossa gratidão vai além. Somos gratos também a todos aqueles que nos têm ajudado nessa dura caminhada.
A todas essas pessoas a quem chamamos de outros, que desde os primórdios da nossa Irmandade vêm trabalhando conosco, num trabalho de cooperação sem afiliação cujos resultados são visíveis através da história de A.A. São pessoas que acreditaram na nossa proposta de recuperação tornando-se entusiastas divulgadores do nosso Programa. Todos nós os conhecemos, eles estão em cada cidade onde existe um Grupo de A.A.
Quantos de nós não encontramos o caminho da sobriedade através da sugestão de um religioso, de um médico, de uma assistente social, de um psicólogo, de nossa esposa ou de um amigo?
O contingente de alcoólicos sofredores é enorme, são milhões de mãos
estendidas pedindo ajuda. No Trabalho com os Outros, além de expressarmos a nossa gratidão, ampliamos a nossa capacidade de fazer com que a mão de A.A., chegue a essas pessoas. Em Alcoólicos Anônimos todos têm a oportunidade de servir; todos têm vaga garantida para o serviço.
No Trabalho com os Outros essa oportunidade se amplia. Integramo-nos todos aos CTOs, colocando os nossos talentos à disposição para que possamos exprimir a nossa gratidão não apenas por meio de palavras, mas através de uma ação efetiva.
Façamos um trabalho harmonioso voltado para o espírito da nossa Décima Segunda Tradição e não para a satisfação dos nossos anseios pessoais.
Caminhamos juntos há setenta anos porque temos sabido viver em UNIDADE.
Trabalhemos com os Outros preservando essa UNIDADE, conscientes de que, com isso, estamos dando algo que hoje temos em abundância: AMOR.

Vivência nº 100 – Mar./Abr. 2006