DP - Humildade “Um sentimento que leva a pessoa a reconhecer suas próprias limitações”

HUMILDADE

“Um sentimento que leva a pessoa a reconhecer suas próprias limitações”
Humildade é uma palavra que vem do latim “húmus” que significa terra boa para se cultivar, que recebe bem e germina a semente. Refere-se à qualidade daqueles que sabem ouvir e não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar serem superiores a elas.
A humildade é a virtude que mostra o sentimento exato da nossa fraqueza, modéstia, respeito, pobreza, reverência e submissão.
É nessa posição que talvez se situe a humildade confissão de Albert Einstein quando reconhece que “por detrás da matéria há algo de inexplicável”..
A humildade é preciosa aos olhos de Deus e revela que quem possuir será mais e mais abençoado e agraciado com os Seus cuidados; ela conserva a alma na tranqüilidade e contentamento, mesmo em meio às dificuldades diárias e gera a paciência e resignação nos momentos mais difíceis.
Pode-se defini-la como “um sentimento que leva a pessoa a reconhecer suas próprias limitações; modéstia; ausência de orgulho.
É conveniente que utilizemos a humildade para eliminarmos nossos defeitos, tal como o fizemos ao admitir que éramos impotentes perante o álcool e chegamos à crença de que um Poder Superior a nós mesmos nos poderia devolver a sanidade. Se a humildade pode capacitar-nos a encontrar a graça por meio da qual a obsessão conseguiu desvanecer-se, então deve existir a esperança de que conseguiremos os mesmos resultados com respeito a qualquer outro problema que possamos ter.
A humildade é tão importante para mantermo-nos sóbrios como comer e beber é importante para nossa sobrevivência.
Conseguir ser humilde é o princípio essencial de cada um dos Doze Passos; é o caminho da tolerância que nos mantém sóbrios. Sem desenvolver esta preciosa virtude perderemos a probabilidade de encontrar a felicidade.
Procurando ser humilde tenho tentado ser honesto comigo e com meus semelhantes para aprender a admitir e corrigir minhas falhas. Se cultivo o orgulho não enxergo a realidade, torno-me incapaz de amar, de perdoar, de aceitar, de tolerar e de conviver.
A prática da humildade consiste em desenvolver sentimentos há muito perdidos principalmente por causa do alcoolismo: a compaixão pela dor do outro, a misericórdia pelos sentimentos alheios, a empatia de me perceber igual nas perdas e nas conquistas.
Registro aqui minha gratidão por estar hoje sóbrio, conquistando dia a dia minha vida envolto pelo amor de um Poder Superior a mim que, se eu deixar me livrará de minhas imperfeições.


(Fonte: Revista Vivência – 117 – Jan./Fev. 2009