Artigos - No seu próprio direito individual

A espiritualidade é um despertar - ou será que é a completa liberdade, finalmente encontrada, entrelaçada em um sistema alegre e jovial? É a compreensão - ou será que é tudo aquilo que precisamos saber? É a liberdade - se você considerar temer a escravidão. É a confiança - ou será que é a crença em um Poder Superior que conduzirá você através de todas as situações? É obedecer aos ditames da sua consciência - ou será que é um vivo interesse profundo e legítimo pelas pessoas e pelo planeta? É paz de espírito em face da adversidade. É um desejo incisivo e aguçado  sobrevivência. 
A espiritualidade é um homem ou uma mulher. É a gratidão por tudo aquilo que aconteceu no passado e que trouxe você até um momento de justiça. 
É a alegria de ser jovem em um mundo jovem. É a consciência - ou será que é a percepção das suas próprias capacidades e limitações?  É a concentração - ou será que é uma percepção tranquila do universo? É perceber uma força mística para o bem em cada um e em todos os seres humanos. É paciência em face da estupidez. É a sensação de que você gostaria de arrancar a cabeça de alguém - e, ao invés disso, afasta-se desse alguém. É quando você já perdeu muito além do seu último centavo, mas sabe que ainda possui algo que o dinheiro não pode comprar. É usar um macacão que cai em você como se fosse uma roupa a rigor. É querer ir para casa estando, no entanto, em casa. É uma viagem numa espaçonave que vai muito além do mundo que os seus olhos podem enxergar. É olhar para algo que é superficialmente feio, mas irradia beleza. É um horizonte
majestoso ou um deserto do oeste. É uma criança. É ver uma lagarta se transformar numa borboleta. É a percepção de que a sobrevivência é uma luta
selvagem entre você e você mesmo. É um impulso magnético orientado para aqueles que caíram e foram excluídos. É compreender que até mesmo os tempos ruins são bons. Não olhe para trás - você ainda não viu nada. Quando alguém olha para você e quer saber o que aconteceu, a expressão dos seus olhos responderá: "Eu deixei de beber!" A coisa singular é que a espiritualidade não pode ser transmitida verbalmente a um companheiro. Se qualquer pessoa quiser alcançá la, então terá que conquistá-la, à sua própria maneira, por suas próprias mãos, patenteada por ele mesmo, no seu próprio direito individual. 

Nova York, Nova York

VIEMOS A ACREDITAR 1/4