DP - O Amor que não tem preço > Rv.122

O AMOR QUE NÃO TEM PREÇO

É dando amor que recebo amor

        No   Décimo   Segundo   Passo,   já   me    sentindo    uma    pessoa    melhor, compreendo uma porção de situações que anteriormente não entendia.
     Passo   a   olhar   para   dentro   de   mim   e,  amando  a  mim  mesma  sinto necessidade de extravasar este amor, dar um pouco dele aos outros.
     Quero amar igualmente meu próximo, preciso fazer isso! A energia do amor não está cabendo dentro de mim.
     Já perdi grande parte  do  meu  egoísmo  e  não  me  conformo  em  usufruir sozinha as coisas  boas  da  vida  e  muito  menos  ver  meus  semelhantes  em situações ruins. Quero  proporcionar  também  aos  outros, prazeres iguais aos meus.
     Estou começando a vivenciar o grande preceito do Poder Superior:- amar ao próximo como a mim mesma!
     E quais  são  os  meus  próximos  "mais próximos"  a  esta  altura  da  minha recuperação? São aqueles que ainda estão sofrendo como eu sofri e que ainda não encontraram o caminho da recuperação.
     Sei muito bem o que eles estão  sentindo,  porque  passei  por  isso  e  sinto necessidade de auxiliá-los, não só por gratidão pelo  que  recebi, mas também pelo desejo de que venham sentir  o  que  estou  sentindo  com  a  prática  dos Doze Passos.
     Os sentimentos que venho adquirindo através da  prática  dos  Doze Passos me proporcionam uma carga emocional muito mais intensa e positiva a ponto de chegar no 12º Passo e querer dar sem esperar receber.
     O  dar  enriquece. Sinto  que  quanto  mais  dou, mais  recebo. Não  que  eu procure, mas porque o Poder Superior quer assim: dou amor e recebo amor.
     Vivenciando esse preceito básico do 12º Passo logo senti não ser  suficiente dar este amor apenas aos mais próximos "mais próximos", os alcoólicos como eu, e veio a vontade imperiosa  de  dá-lo  aos  demais  com  os  quais  convivo: meus   familiares,   amigos,   colegas   de   serviço    e    companheiros    já   em recuperação, mas que ainda sofrem.
     Hoje, após este despertar espiritual, sinto  positivamente  aquilo  que  senti negativamente grande  parte  da  minha  vida  de  alcoólica:-  quanto  mais  eu bebia mais vontade de beber sentia.
     Agora, quanto mais sinto amor, mais necessidade tenho de amar os outros.
     Não consigo viver sem dar amor  e  isso  se  explica  pela  grande   satisfação íntima de estar ajudando alguém e a imensa felicidade quando  meus esforços dão resultado,  quando consigo transmitir a mensagem de A.A.
     Uma das  características  do  dar  sem  pensar  em   receber  é   que  quando percebo haver proporcionado felicidade  a  alguém,  a  felicidade  que  sinto   é muito maior do que foi  quando  comecei   a  me  recuperar   do   alcoolismo. É como se eu fosse "dona"  da pessoa ajudada,  uma  satisfação   muito   grande
por uma obra pessoal.

     Esta satisfação  de  haver  causado  um  bem  é  o   resultado   do   despertar espiritual. É a evolução espiritual!
     Não preciso mais dos escapismos da bebida, do  dinheiro,  do   poder   e   da luxúria em todas as suas variantes.
     Hoje enxergo claramente a efemeridade destes prazeres  e  a  pequenez dos mesmos   diante   dos   prazeres   espirituais   e  reconheço    a   magnitude   da sabedoria dos ensinamentos do nosso Poder Superior.
     Estou  decidida  a  viver  doravante  praticando  estes   princípios,   os   Doze Passos, em todas as minhas atividades.
     Estes Doze degraus da escada do bem viver me levaram a  reencontrar com o Poder Superior, como O concebo; efetuaram uma limpeza na minha imagem mental tornando-a positiva e realista, libertaram-me  das  consequências  dos erros do meu passado, perdôo dia a dia a mim mesma e os outros de modo a seguir o caminho da felicidade plena amando a  mim  mesma,  os  outros  e  a VIDA!
Comments