Artigos - O perfeccionismo

Muitos alcoólicos, seguidores do programa de recuperação dos Alcoólicos Anônimos, padecem do mal conhecido como perfeccionismo. A pessoa perfeccionista é geralmente ansiosa, ávida por perfeição, exigente consigo mesma e com os demais. Para melhor entendimento do assunto, veremos, em seguida, como o mestre Aurélio define perfeição e perfeccionismo:

- "Perfeição é a ausência de quaisquer defeitos".
- "Perfeccionismo é a tendência obsessivamente exagerada para atingir a perfeição na realização de alguma coisa".

Bill W. faz um alerta a respeito do perfeccionismo: a pessoa perfeccionista está sempre tentando alcançar o impossível, e quando não o consegue, mergulha-se na auto condenação.
O próprio BiII confessa-se um ser perfeccionista. Relata que quando falhava em um empreendimento, era acometido de ressentimento e depressão.
 
No que tange à vida espiritual, Bill sugere moderação na busca do bem perfeito: somente o Primeiro Passo pode ser dado com perfeição; os demais enunciam ideais perfeitos.
 
Espiritualmente falando, o perfeccionismo é uma maldição, pois provoca na pessoa perfeccionista momentos de angústia, desânimo, auto condenação e infelicidade.
 
Maria Auxiliadora, professora cristã de "Cura Interior", relaciona algumas causas, sintomas e conseqüências do perfeccionismo, como veremos, resumidamente, a seguir:

- Causas: sentimento de rejeição, auto-imagem negativa, pessoas criadas com rigor excessivo, ego super inflamado, distorção da Palavra de Deus;

- Sintomas: auto-culpa, tirania dos "devos", auto-depreciação, necessidade de aprovação, doenças psicossomáticas, ansiedade, reações de revolta, ênfase às regras, defeitos de caráter (pecados), dificuldade em crer em Deus e em aceitar a Sua Graça;

- Conseqüências: criação de uma falsa imagem (superego), rigidez no controle das emoções, procura de relacionamentos humanos perfeitos, sentimentos de culpa, frieza nos relacionamentos, interrupção do crescimento espiritual.

Há cura para o perfeccionismo? Sim, evidentemente.
 
 
(Vivência n.° 28 - mar/abr. de 1994)