Artigos - Os Doze Passos - Um Programa Espiritual

OS DOZE PASSOS - UM PROGRAMA ESPIRITUAL


INTRODUÇÃO – Os nossos depoimentos na reunião são como uma bicicleta. A bicicleta tem pneu dianteiro e o traseiro, e os 2 têm de estar cheios para a bicicleta andar.

Os nossos depoimentos – escreve Bill no capítulo 5 do Livro Azul – revelam como éramos, que aconteceu, e COMO SOMOS AGORA.

Se contarmos somente como éramos (a história das nossas bebedeiras) e não sabemos contar como somos agora (COMO ESTAMOS VIVENDO OS 12 PASSOS), o depoimento tem o pneu traseiro cheio, mas o dianteiro está vazio. A bicicleta não anda. Meu depoimento não ajuda o grupo tanto quanto devia.

Uns companheiros falam de como são agora, dizendo: “Está tudo jóia! Tudo legal! Tudo azul! Não é o suficiente para encher o pneu dianteiro. Bill está nos convidando para falar da nossa vivência dos 12 Passos hoje!

Pedimos juntos ao Poder Superior que  nosso bate-papo sobre CRESCIMENTO ESPIRITUAL DENTRO DO PROGRAMA AA nos dê mais interesse e mais confiança de conhecermos e praticarmos os 12 Passos. No próximo parágrafo do Livro Azul, Bill diz: “Pensamos poder encontrar maneira mais fácil - do que os 12 Passos. Porém, não podemos”.


A.A. é um PROGRAMA ESPIRITUAL

O meu alcoolismo é doença incurável, mas espero ir me recuperando das atitudes doentias do meu alcoolismo até o fim da minha vida. Não basta “Botar a Rolha na Garrafa”: a minha recuperação progressiva exige os 12 Passos – a fim de vivê-los todos os dias.

Porque é que uns alcoólatras não conseguem parar de beber, mesmo se assistirem algumas reuniões? Provavelmente não conhecem nem os primeiros 2 Passos! Porque é que outros frequentam AA por um tempo, mas recaem? Garanto que não estavam estudando e PRATICANDO os Passos. Sem os Passos, continuamos “Bêbados Secos”: tão bravos, tão autossuficiente, tão isolados dos outros, tão cheios de auto-piedade, como quando bebíamos. Sem os passos, qualquer raiva ou frustração pode provocar uma recaída. A próxima vez que um companheiro recair, pergunte-o QUAL DOS DOZE PASSOS ESTAVA PRATICANDO NO DIA QUE RECAIU!!!


BÊBADOS SECOS:

Por que é que os membros de nossas famílias podem queixar-se que era mais fácil conviver conosco quando estávamos bebendo? Esforçando-nos para não tomar o 1º gole, vivemos bravos, intolerantes e intoleráveis, esquisitios, “Bêbados Secos”; Por quê? O motivo é claro; hoje não estou rogando humildemente que Deus me livre das minhas imperfeições (7º Passo); não estou admitindo prontamente quando estou errado (10º); não estou procurando melhorar o meu contato consciente com Deus: (11º); não estou praticando os princípios de A.A. em todas as minhas atividades (12º).

 

SOMOS DOENTES EMOCIONAIS

Mais uma pergunta: POR QUE É QUE TANTAS BRIGAS FEIAS ACONTECEM EM A.A.? A resposta é óbvia: sendo alcoólatras, todos nós somos DOENTES EMOCIONAIS! Se eu conheço bem os Passos, e não estou tentando praticá-los, em vez de fazer o meu próprio inventário (como sugerem o 4º e 10º Passos) vivo fazendo o inventário dos outros! Se não estou admitindo a natureza que Deus remova os MEUS defeitos de caráter (6º P.) então continuo naquela atitude alcoólica de culpar todos os outros e negar os meus erros.

Se não estou praticando os 12 Passos, vivo criticando e condenando o companheiro que tem opinião diferente da minha. Faço fofoca, e sou capaz, como Bêbado Seco, de insultar um companheiro. Sem os Passos, posso destruir a UNIDADE de A.A., que é a 1ª e realmente a única Tradição de A.A.

Digo mais ainda: discussão sobre as Tradições pode ser ofensiva e divisiva, SE OS MEMBROS NÃO ESTÃO TENTANDO PRATICAR OS 12 PASSOS, porque sem os Passos, nós alcoólatras continuamos sendo inseguros, rígidos, inflexíveis, arrogantes e incapazes de discutir nada com calma e respeito mútuo. Sem os Passos, continuamos sendo pessoas cheias de raiva e de ódio de NÓS MESMOS, que descarregamos nos outros, na família e em nosso grupo de A.A.


SOMOS EMOCIONALMENTE DESEQUILIBRADOS:

Meus Caros Companheiros, quero bradar dos telhados o seguinte: NÓS ALCOÓLATRAS, MESMO COM A ROLHA NA GARRAFA, SOMOS DOENTES EMOCIONAIS, SOMOS EMOCIONALMENTE DESEQUILIBRADOS!Depois de banhar o sistema nervoso com o veneno no álcool, em grandes quantidades e por muito tempo, nossos nervos nunca serão tão estáveis e calmos como a pessoa que não abusou da droga álcool! Assim como uma mulher menstruada sente pequenas irritações como se fossem grandes, assim também nós, doentes emocionais, sofremos as consequências dos nossos alcoolismos: somos supersensíveis, nos ofendemos à toa: as frustrações mais banais nos derrubam.


NOSSA RECUPERAÇÃO

Será que existe esperança de recuperação dessa doença emocional? Sim! Os 12 Passos nos oferecem recuperação lenta mas progressiva. Por esse motivo, os 12 Passos não são luxo para uns “fanáticos”, mas são o tratamento indispensáveis e contínuo, se não queremos voltar a beber. Para gozarmos uma vida SÓBRIA, SERENA E FELIZ – para nós, para nossas famílias e para nosso grupo de A.A. – precisamos estudar e praticar os 12 Passos!!! Cada grupo tem a liberdade de escolher a maneira de estudar os Passos, mas nenhum grupo pode deixar os Passos ao lado como algo supérfluo e desnecessário. Os 12 Passos são nosso programa de recuperação, nosso programa de vida!


CONFIANÇA:

Muitos companheiros acham que os Passos são complicados e difíceis. Mas não são complicados. Basta cada membro tentar partilhar um pouco no seu depoimento sobre como ele está tentando viver um dos Passos.  Todos os membros vão se enriquecer e criar confiança de começar a viver os Passos e falar deles como parte do seu depoimento. É essencial que o grupo estude a nossa literatura sobre os Passos Com boa vontade, todos vão entendendo-os e muitos vão começar a praticá-los – pois os 12 Passos são nosso programa espiritual de vida e de recuperação.


1º PASSO – ADMITIMOS QUE ÉRAMOS IMPOTENTES PERANTE O ÁLCOOL – QUE TÍNHAMOS PERDIDO O DOMÍNIO SOBRE NOSSAS VIDAS.

Enquanto bebia, eu era como um pneu de Volks inflado com 50 libras de pressão, em vez de 18 ou 20 libras. Eu estava cheio demais: arrogante, prepotente, “Não preciso de ninguém. Posso parar quando eu quero. Bebo porque ela me enche o saco.” Vocês já andaram num Volks quando os pneus estava cheios demais? Não há quem aguente. Por isso o psiquiatra, Dr. Tiebout, citado no Livro Azul, usou o termo “DESINFLAR O EU”. O 1º Passo é a experiência de “desinflar o meu orgulho”, de “cair de meu cavalo de auto-suficiência”, de chegar “ao fundo do poço”, de sentir nossos pneus furados e esvaziados das 50 libras de orgulho. No Livro Verde, nosso fundador, Bill, chama essa experiência DERROTA TOTAL.

O 1º Passo é a grande lição de HUMILDADE. Afinal, o que é a Humildade e o Orgulho? O orgulho é viver a MENTIRA: “Não preciso de ninguém. Sempre tenho razão. Ninguém pode me ensinar nada. Estou muito bem sozinho.” Tudo isso é MENTIRA, e o orgulho é viver essa mentira. A Humildade, porém é viver a VERDADE: Sou impotente perante o álcool. Sozinho não consigo nada, muito menos viver sóbrio. Sou muito pequeno, falho, limitado e fraco. Preciso de ajuda, e aceito a ajuda de Deus que Ele me oferece em A.A.”.

Meus caros Companheiros, meses e anos depois da nossa última bebedeira, ainda precisamos dar o 1º Passo, porque a HUMILDADE é o alicerce de todo o Programa de A.A. e o 1º Passo é a grande lição de Humildade. A minha recuperação emocional e espiritual requer que eu me lembre vivamente todos os dias que sou IMPOTENTE – DERROTADO – PEQUENO E FRACO – NECESSITADO de Deus e dos meus companheiros de A.A.

A hora em que eu deixar de praticar o 1º Passo, e de querer aprender essa lição de humildade, todas aquelas tendências alcoólicas voltarão para me dominar a minha mente: a prepotência, a arrogância, a auto-suficiência, o orgulho que acredita a mentira de eu não precisar de ninguém. O bêbado sempre tem razão e é supersensível. Se não estou vivendo o 1º Passo hoje, sou capaz de me ofender à toa numa reunião e sair do grupo, dizendo que já não preciso de A.A. Estou cheio de novo de 50 libras de orgulho. Dai vem mais uma bebedeira e derrota total, mas meu orgulho não me deixará voltar a A.A.

Se hoje estou praticando o 1º Passo, reconheço que sou muito pequeno e necessitado. Sinto-me IMPOTENTE perante o álcool e perante muitas coisas que não posso modificar. Conheço-me hoje como um DERROTADO. Se estou praticando o 1º Passo, não vou olhar os meus companheiros nem meus familiares com desprezo, com crítica braba e arrogância. Relaciono-me com humildade, com amizade e respeito, e com muita gratidão. Serei uma pessoa SÓBRIA, SERENA E FELIZ, se hoje estou vivendo o 1º Passo.


2º PASSO: ACREDITAMOS QUE UM PODER SUPERIOR A NÓS MESMOS PODE NOS DEVOLVER À SANIDADE.

Meus companheiros, vou conhecer nosso PODER SUPERIOR na medida exata que reconheço a minha Derrota Total. Quem vai se sentir mais agradecido pelo almoço de hoje é aquele que ontem quase morreu de fome. Quem vai se sentir mais alegre e abençoado pela luz do dia é aquela que quase morreu na escuridão d noite. Da mesma forma, eu vou me sentir mais amado e valorizado pelo Poder Superior, quanto mais eu me lembro que quase morri do meu alcoolismo.

NOSSA Irmandade evita toda discussão divisiva sobre Deus. Alcoólicos Anônimos afirma simplesmente que a força de dominar o álcool não está DENTRO de nós. (Eu fiz pesquisas por 20 anos, tentando descobrir DENTRO de mim a força de me libertar do álcool. Constatei que DENTRO de mim não está.) Logo, se estamos vivendo estas 24 horas sem precisar do 1º gole, essa força não vem de DENTRO, mas DE FORA! Aí está o Poder Superior de A.A.

Se estou lembrando hoje que sou um DERROTADO, e que meu Poder Superior já provou o seu Amor Pessoal por mim, tomando-me pela  mão e me levantando daquela desgraça – é claro que vou levar muito a sério a minha amizade com esse Poder Superior que me ama muito.

Mas ainda, o 2º Passo fala de “devolver-nos à sanidade”. Companheiros, devolver-nos à sanidade é muito mais do que só botar rolha na garrafa. É um PROCESSO CONTÍNUO DE RECUPERAÇÃO EMOCIONAL E ESPIRITUAL. A sanidade é saúde do corpo, da mente, das emoções e do espírito. Essa recuperação exige o meu relacionamento pessoal, exige amizade alegre, agradecida e confiante com o Poder Superior que promete ir me devolvendo à sanidade física, emocional e espiritual.

O GRANDE SEGREDO DE A.A.: Por que é que uns que frequentam A.A., mas não conseguem parar de beber e ficar parados? Será que as vezes a culpa não é nossa? Temos vergonha ou insegurança de falar do 2º Passo – do único Poder no universo que pode dominar o álcool. É uma injustiça que fazemos, a nós mesmos, e aos alcoólatras que vêm a nós mesmos, e aos alcoólatras que vêm a nós pedindo ajuda para não beber, pois o GRANDE SEGREDO DE A.A. é este.

Somente o Poder Superior pode nos devolver à sanidade – pode nos dar forças para evitar o 1º gole. Porque esconder nosso segredo dos que buscam ajuda?

Acredito que nenhum alcoólatra consegue parar de beber e ficar parado, sem ter caído de joelhos de uma forma ou de outra, e clamando: “Meu Deus, me ajude!” Para dar este 2º Passo, não precisamos SENTIR fé; basta arriscar e pedir sem emoção até; o efeito está garantido. O Poder Superior AMA a todos nós alcoólatras e faz questão de nos devolver a sanidade.


3º PASSO: DECIDIMOS ENTREGAR NOSSA VONTADE E NOSSA VIDA AOS CUIDADOS DE DEUS.

Quando entrei em A.A., eu estava cheio de ressentimentos alcoólicos, e me preocupava demais. “Como vou enfrentar as pessoas que me ofenderam quando eu bebia? Um bom amigo me ensinou o 3º Passo, dizendo: “Deus tem sido MUITO BOM para você nestes meses, levando você a A.A. e à Sobriedade. Será que não deve confiar mais nele?

Meus companheiros, nós alcoólatras simplesmente não podemos nos dar ao luxo de nos preocupar à toa com as dificuldades do dia-a-dia. Tais preocupações nos roubariam a serenidade, e estaríamos em perigo de beber de novo. Escutando os depoimentos dos companheiros, reconhecemos que o Poder Superior já faz tantas maravilhas na vida de todos nós, libertando-nos da escravidão do álcool.

Os 2º e 3º Passos não falam nada sobre ir à Missa ou pertencer a certa igreja: isso depende da consciência e da liberdade de cada membro. O que esses 2 passos nos pedem é FÉ E CONFIANÇA no Deus da nossa Sobriedade, que se oferece como Amigo e como Guia da nossa vida hoje.

Afinal, enquanto bebíamos, tentamos em vão controlar tantas coisas: o álcool, os membros da nossa família, as coisas que aconteciam. Fracassamos e nos frustramos, e bebemos mais, porque somos muito pequenos para querer controlar pessoas e acontecimentos. O 3º Passo nos alivia de toda aquela responsabilidade pesada, convidando-nos para deixar a nossa vontade e a nossa vida nas mãos bondosas e poderosas do Deus da nossa Sobriedade. Ele vai nos guiando, passo por passo, na medida que vivemos hoje o 3º Passo.

Esse 3º Passo nos lembra da Oração da Serenidade. Por que é que pedimos a Serenidade de ACEITAR AS COISAS QUE NÃO PODEMOS MODIFICAR?

Não é uma aceitação passiva, de cara feia, porque não há outro jeito. Pedimos a Serenidade – a Paz de Deus – para aceitar as coisas, acreditando firmemente que nosso Bom Deus faz com que tudo se enquadre no Seu Plano Amoroso para nossa felicidade hoje. A vontade de Deus não é coisa chata nem pesada: sua Vontade é que vocês e eu sejamos FELIZES, na Sobriedade, na Serenidade e na Unidade fraterna de A.A.

Se unirmos a nossa vontade – as coisas que queremos – com a Vontade Amorosa de Deus, temos 2 trilhos em que nossa vida pode deslizar serenamente. Por outro lado, se Deus quer que chova e não quero que chova, estou fabricando uma cruz, uma contrariedade. Lembrando-me todos os dias do milagre da minha Sobriedade, entrego a Deus a minha vontade e a minha vida.


4º E 5º PASSOS – MEU INVENTÁRIO PESSOAL + ADMITIR PERANTE DEUS. PERANTE NÓS MESMOS E PERANTE OUTRO SER HUMANO, A NATUREZA EXATA DE NOSSAS FALHAS.

Uma consequência terrível do nosso alcoolismo é a carga enorme de ÓDIO E RAIVA DE NÓS MESMOS que acumulamos dentro de nós. Estes 2 Passos nos oferecem esperança de reduzir essa carga de ódio e raiva de nós mesmos, para podermos criar AMIZADE com a PESSOA QUE NOS OLHA DO ESPELHO.  Para descobrir quanto ódio e raiva você ainda tem dentro de si, veja por quanto tempo você aguenta ficar olhando a sua imagem no espelho. Essa pessoa que você vê aí é amigo, ou inimigo? Consegue gostar um pouco desse sujeito? Ou você desvia o olhar porque não suporta a pessoa que você vê no espelho – a pessoa que você é?

Se eu não sou amigo do sujeito que me olha no espelho, não tenho condições de ser amigo de mais ninguém. Serei uma presença hostil e destrutiva no grupo de A.A. – e provavelmente o peso desse ódio de mim mesmo vai me levar a beber de novo. Como me livrar desse ódio e raiva de mim mesmo? O 4º Passo me convida para olhar bem no espelho do inventário, e descobrir QUEM EU SOU. Tenho muitas limitações, e muitos defeitos, mas descubro que Deus não faz lixo. Tenho umas qualidades muito boas que eu nem conhecia enquanto bebia. Essas qualidades boas me ajudam a começar a GOSTAR DE SER EU, a fim de gostar mais dos outros.

Tantos membros de A.A. pensam que o 4º Passo é “Bicho de 7 cabeças”, mas realmente é muito simples, e é um Passo necessário para eu criar amizade com a pessoa que vejo no espelho, e para eu viver sóbrio.

O 5º Passo também me ajuda a reduzir o ódio de mim mesmo, a vergonha do meu passado e o sentimento de culpa que me sufoca. Bebendo, eu era DESONESTO com Deus, comigo mesmo e com os outros. Minha recuperação exige que aprenda a ser HONESTO. Depois de viver mentindo para mim mesmo (que eu sempre tinha razão, que não precisava de ninguém, que os outros me maltratavam e me obrigavam a beber), preciso começar a ser HONESTO e falar a VERDADE para crescer na Sobriedade e na Serenidade.

Todos nós carregamos dentro de nós muitas coisas podres. Ora, se você comer uma fruta podre, vai sentir-se ruim ATÉ VOMITAR aquela coisa podre. Da mesma maneira, só podemos sentir-nos muito ruim, segurando dentro de nós as coisas podres e vergonhosas do nosso passado. Que alívio poder tirar para fora essa podridão, e sentir que Deus através de um irmão ou irmã de A.A. nos compreende, nos perdoa e nos ajuda a perdoar a nós mesmos – a fim de sermos mais amigos da pessoa do espelho.

Da minha experiência de trabalhar com alcoólatras, estou convencido que o maior problema do alcoólatra é justamente esse ódio e essa raiva de si mesmo. Seu sentimento de si mesmo é tão péssimo, que tem que beber porque não suportaria essa dor. Ou se consegue evitar o 1º gole, vive em atritos com todo mundo, porque está em guerra dentro de si: odeia a si mesmo! A única maneira de atacar esse problema é fazer os 4º e 5º Passos. São a grande libertação, e o começo de amizade com a pessoa do espelho, para podermos ser mais amigos dos outros. Não posso amar ninguém mais do que consigo amar a mim mesmo, perdoar a mim mesmo como Deus me perdoa, e ter mais compreensão, paciência e carinho para comigo mesmo. Os 4º e 5º Passos são necessários, e não são tão difíceis, não!

 

6º E 7º Passos: NOSSOS DEFEITOS:

Enquanto bebíamos, estávamos tão cheios de raiva de nós mesmos, que não tínhamos a auto-segurança de reconhecer os nossos defeitos. Sóbrios agora, precisamos aprender a encarar os nossos defeitos, com honestidade e confiança. De que maneira você é imaturo, egoísta, orgulhoso e esquisito com os outros? Quais são as suas manias, as suas fraquezas, as suas infantilidades que atrapalham a sua vida, e que poderiam levar você a beber de novo? Falando de mim mesmo, ainda sou supersensível, cheio de auto-piedade e tendo a me fechar e me isolar dos outros por coisinhas que me ofendem.

O 6º Passo me ensina a estar disposto a crescer – a estar pronto para deus ir me tirando os meus defeitos. O 7º Passo me ensina a pedir a Deus, com humildade e confiança, que Ele me livre progressivamente dessas imperfeições

Os 6º e 7º Passos repetem a atitude de DEPENDÊNCIA CONFIANTE DE DEUS dos primeiros 2 Passos. Perante os meus defeitos e a minha necessidade de crescer mais, sou muito pequeno, fraco e IMPOTENTE. Mas acredito que o Poder Superior, o Deus da minha sobriedade, faz questão de ir me libertando dos meus defeitos, para que a minha Sobriedade seja ainda mais alegre e feliz, e para que a minha vida com outras pessoas seja mais marcada com o Amor e a Serenidade que recebo de Deus.


8º e 9º Passos: REPARAÇÕES ÀS PESSOAS PREJUDICADAS

Fazemos reparações, quando podemos e na hora que Deus nos dá a coragem e a confiança necessárias para isso. Continua assim a nossa recuperação, a nossa mudança de coração, e o nosso crescimento. Bebendo toda nossa atitude era do “SENHOR-BEBÊ”: todo mundo estava errado e contra nós; só nós tínhamos razão: éramos vítimas dos outros, mas nunca prejudicamos a ninguém!

Éramos o “SENHOR-BEBÊ”, mas hoje, sóbrios pelo Amor Poderoso de Deus temos muito amor para dar aos outros. Esse Amor que recebemos do Deus da nossa Sobriedade nos inspira a coragem e a confiança de querer fazer reparações, e assim nos aliviar da culpa e construir amizade com os outros.


10º Passo: Nosso inventário continua, e quando erramos, o admitimos PRONTAMENTE. Que mudança de atitude! Estamos nos recuperando!


11º Passo: Nosso contato consciente com Deus – nossa AMIZADE com Ele.

Antes eu pensava que Deus era bravo, durão e castigador. Pela experiência do meu alcoolismo, e do Amor Poderoso de Deus que me liberta do álcool, descubro QUE DEUS ME AMA MUITO! Este Bom Deus me atrai o coração, e só quero mais amizade com Ele. Quero conhecer e realizar a Vontade deste meu Melhor Amigo.

O que é prece e meditação: “É simplesmente BATER PAPO COM NOSSO MELHOR AMIGO! Não procuramos frases bonitas, mas abrimos o coração e partilhamos com Aquele que nos ama e nos dá a Sobriedade tudo que estamos sentindo e pensando, sem receio e sem reservas.

O 11º Passo fala da VONTADE DE DEUS. Antes eu tinha medo da Vontade de Deus: pensava que Ele só me exigia coisas chatas e contra o meu gosto. Descobri em A.A. que a Vontade de Deus é que todos nós vivamos hoje muito FELIZES – apesar das pequenas dificuldades – SÓBRIOS – SERENOS E UNIDOS na Irmandade de A.A.


12º Passo: “Tendo experimentado um DESPERTAR ESPIRITUAL”:

Eu estava morto no alcoolismo, mas hoje vivo sóbrio e sereno. Essa experiência pessoal me revela o Amor do meu Deus: é o grande Despertar Espiritual que continua todos os dias.

A descoberta do Amor de Deus por mim mexe muito comigo: não me deixa viver acomodado, mas me dá as energias desse Amor para me propulsionar a levar a mensagem a outros alcoólatras – a praticar os princípios de A.A. em todas as minhas atividades. Quais são os princípios de A.A.? Humildade – Honestidade – Unidade – Necessidade de contribuir ao Bem Estar Comum (1ª Trad.) e a transmitir a mensagem de A.A. ao alcoólatra que ainda sofre (5º Trad.).

Talvez os princípios de A.A. se resumam nesta convicção: “A força de largar do álcool não de DENTRO de mim, mas de FORA: do Deus que me ama muito e derrama Seu Amor sobre mim e sobre os meus companheiros, para que possamos amar a nós mesmos como Ele nos ama – e ter muito Amor – Compreensão – Serenidade – Sabedoria para dar aos outros. 

VIVÊNCIA > REVISTA BRASILEIRA DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS Nº 0 (ZERO) NOV/1985