Artigos - Preciso aprender

Muitos que participam da nossa Irmandade, definem nossos três estágios de aprendizado e crescimento da seguinte forma: "Cheguei. Aproximei-me.
Vim a acreditar". No meu caso, foram necessários três anos, antes que começasse o terceiro estágio. Desde então, acredito haver experimentado um gradual fortalecimento e um incremento na freqüência das minhas comunicações com Deus, na forma em que eu O entendo. "Os homens estão prontos a morrer por uma idéia, desde que essa idéia não seja totalmente clara para eles", escreveu Paul Eldridge. É dessa forma que o lado espiritual do programa de A.A. aparece para mim. Fico confuso se tento analisá-lo; não tento compreendê-lo. Estas observações aleatórias representam o melhor que posso fazer para colocar isso em palavras. O Cardeal Newman disse: "É essa própria energia de raciocínio que os mantém afastados de Deus". Era isso que acontecia comigo, creio. O ditado "Largue as rédeas e deixe Deus conduzir", deve ter sido escrito exatamente para mim... Para mim, Deus é aquela voz calma e suave que ouço tantas vezes a cadadia, dizendo: "Roy, isso não foi suficientemente bom!"... Vivo sozinho. Houve época em que me senti solitário. Mas hoje posso desfrutar das recompensas que só surgem em momentos de solidão... Reclamo freqüentemente em relação a coisas que considero como limitações e obstruções. Mas essas podem ser exatamente as coisas das quais mais preciso. Porque aquilo que chamo de estorvos, obstáculos ou desencorajamento são provavelmente as oportunidades de Deus... À medida em que tento crescer neste programa de A.A. tenho
ocasionalmente de "relembrar quando" - mas não para remoer o passado. A.A. ensinou-me como lidar com ele, como colocá-lo em seu próprio lugar e
perspectiva. Acredito que tenho que aprender ou tenho que deixar que Deus me ensine que a única forma de me livrar do meu passado é construir um futuro a partir dele. Deus não desperdiça nada... Agora que estou sóbrio e que tentei entregar minha vontade e minha vida aos cuidados de Deus, acredito que o maior presente que posso dar - ao mundo, a qualquer grupo de pessoas ou a qualquer pessoa do mundo - é o meu próprio eu. Acho que Deus deu a cada um de nós uma personalidade única, para que possamos por nossa vez dá-la aos outros. Agora posso dá-la, com alegria, carinhosamente, amistosamente, feliz e sóbrio!... Acredito que Deus nos fez todos diferentes por uma outra razão: estou convencido de que existe uma coisa que posso fazer melhor do que qualquer pessoa do mundo. Deus acha isso. E Ele quer que eu o faça! Através dos Doze Passos, muitos membros de A.A. descobriram quais são as tarefas que lhes foram atribuídas neste mundo. E eles as estão executando. Assim, os Doze Passos devem continuar a ser mais envolventes e mais ligados a mim do que qualquer outra coisa que possa encontrar na vida. Porque é apenas através da prática desses Passos que poderei chegar cada vez mais perto de descobrir o que Deus pretende para mim. Talvez Deus ache que uma tarefa muito modesta, na minha comunidade, seja tudo quanto sou capaz de realizar. Mas ela está lá. E é real. Assim, com a ajuda dos meus amigos de A.A., devo descobrir qual é essa tarefa. E então, com a ajuda deles, terei que executá-la!

VIEMOS A ACREDITAR 9/8