..Reflexões Diárias - Setembro

 * S E T E M B R O * 

 Acesse  abaixo  o  link  do  mês  que  você  deseja  ver. 

*   JANEIRO   *   FEVEREIRO   *   MARÇO   *   ABRIL   *   MAIO   *   JUNHO   *   
JULHO   *   AGOSTO   *   SETEMBRO   *   OUTUBR0   *  NOVEMBRO   *   DEZEMBRO   *


01  SETEMBRO

DISPOSIÇÃO  PARA  CRESCER

Se temos que receber outras dádivas, nosso despertar tem que continuar.

NA OPINIÃO DO BILL

A sobriedade preenche o doloroso “buraco na alma” que meu alcoolismo criou. Muitas vezes me sinto fisicamente tão bem, que acredito que meu trabalho já foi feito. Contudo, a alegria não é apenas a ausência de dor: ela é a dádiva de um contínuo despertar espiritual. A alegria vem de um estudo ativo e progressivo, bem como da aplicação dos princípios de recuperação em minha vida diária, e de compartilhar esta experiência com os outros. Meu Poder Superior apresenta muitas oportunidades para um mais profundo despertar espiritual. Preciso somente trazer para minha recuperação a disposição de crescer. Hoje estou pronto para crescer.


02  SETEMBRO

ENCONTRANDO “UMA  RAZÃO  PARA  ACREDITAR”

A disposição para crescer é a essência de todo crescimento espiritual.

NA OPINIÃO DO BILL

Um verso de uma canção diz: “... E procuro uma razão para acreditar...”. Isto me faz lembrar que numa certa época eu não era capaz de encontrar uma razão para acreditar que minha vida estava bem. Embora minha vida tivesse sido salva por minha vinda ao A.A., três meses mais tarde fui e bebi novamente.

Alguém me disse: “Você não precisa acreditar. Será que você não está disposto a acreditar que há uma razão para sua vida, embora você não possa não saber qual é ou que algumas vezes não saber a maneira correta de se comportar?” Quando estava disposto a acreditar que havia uma razão para a minha vida, então pude começar a trabalhar nos Passos. Agora, quando começo com: “Eu estou disposto...”, estou usando a chave que leva à ação, à honestidade e uma abertura para um Poder Superior que se manifesta em minha vida.



03  SETEMBRO

CONSTRUINDO  UMA  NOVA  VIDA

Aquele que diz que basta a sobriedade é um homem sem consideração.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Quando reflito sobre o Nono Passo, vejo que a sobriedade física deve bastar para mim. Preciso lembrar-me da desesperança que sentia antes de encontrar a sobriedade, e como estava disposto a fazer qualquer coisa para consegui-la. Sobriedade física não é o bastante para aqueles que estão à minha volta, contudo, devo cuidar para que a dádiva de Deus seja usada para construir uma vida nova para minha família e as pessoas a quem amo.

É igualmente importante para que eu deva estar disponível para ajudar outros que desejam a maneira de vida de A.A..

Peço a Deus que me ajude a compartilhar a dádiva da sobriedade para que aqueles a quem conheço e amo possam ver seus benefícios.




04  SETEMBRO

RECONSTRUÇÃO

Sim, há pela frente um longo período de reconstrução...

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

A reconstrução da minha vida é o objetivo principal de minha recuperação enquanto evito tomar o primeiro gole, um dia de cada vez. A tarefa é melhor cumprida trabalhando os Passos de nossa Irmandade. A vida espiritual não é uma teoria; ela funciona, mas tenho que vivê-la. O Segundo Passo deu início à minha caminhada para desenvolver a vida espiritual. O Nono Passo permite movimentar-me na fase final dos Passos iniciais que me ensinaram a viver uma vida espiritual. Sem a orientação e força de um Poder Superior, seria impossível seguir através dos vários estágios da reconstrução. Percebo que Deus trabalha para mim e através de mim. A prova me vem quando percebo que Deus fez por mim o que eu não poderia fazer por mim mesmo, removendo aquela consumidora compulsão pela bebida. Devo continuar a procurar diariamente a orientação de Deus. Ele me concede um indulto diário e proverá a força de que preciso para a reconstrução.



05  SETEMBRO

EQUILÍBRIO  EMOCIONAL

Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível... Sim, há pela frente um longo período de reconstrução...

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Quando revejo os meus dias de bebida, recordo de muitas pessoas a quem toquei casualmente na minha vida, mas cujos dias eu transtornava com minha raiva e sarcasmo. Não tenho condições de saber por onde andam estas pessoas, e reparações diretas a elas não são possíveis. A única reparação que posso fazer a estas pessoas não identificadas, as únicas “mudanças para melhor” que posso oferecer, são reparações indiretas feitas a outras pessoas, cujos caminhos se cruzam casualmente. Cortesia e amabilidade, praticadas regularmente, me ajudam a viver em equilíbrio emocional, em paz comigo mesmo.



06  SETEMBRO

REMOVENDO  AMEAÇAS  À  SOBRIEDADE

... salvo quando fazê-lo significasse prejudicá-las, ou a outrem.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

O Nono Passo recupera em mim um sentimento de pertencer, não somente à raça humana mas também ao mundo atual. Primeiro, o Passo me faz deixar a segurança de A.A., para que possa tratar com pessoas não A.As “lá fora”, nos termos delas não nos meus. É uma ação temerosa, mas necessária, se quero voltar para a vida. Segundo, o Nono Passo me permite remover ameaças à minha sobriedade, reparando relacionamentos passados. O Nono Passo mostra o caminho para uma sobriedade mais serena, deixando–me livre de destroços passados, para não tropeçar–me com eles.



07  SETEMBRO

NOSSO  LADO  DA  RUA

Estamos aqui para varrer nosso lado da rua, reconhecendo que nada de valor se pode efetuar até havermos feito isso. Jamais procurando aconselhá-lo como deve agir. As faltas dele não são discutidas. Limitamo-nos às nossas.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Fiz reparações ao meu pai logo após parar de beber. Minhas palavras caíram em ouvidos surdos, porque eu o culpava por meus problemas. Vários meses mais tarde fiz reparações para meu pai, novamente. Desta vez escrevi uma carta na qual não culpava e tampouco mencionava suas faltas. Funcionou! E finalmente entendi. Meu lado da rua é tudo pelo que sou responsável e, graças a Deus e a A.A., hoje está limpo.



08  SETEMBRO

PEDIMOS  SUA  PROTEÇÃO

Entregamo-nos totalmente, e pedimos a Deus sua proteção e cuidado.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Eu não podia administrar minha vida sozinho. Tinha tentado este caminho e falhado. Meu “último pecado” me arrastou para o nível mais baixo que jamais tinha alcançado e incapaz mesmo de funcionar, aceitei o fato de que precisava de ajuda, desesperadamente. Parei de lutar e me rendi totalmente a Deus. Somente então comecei a crescer! Deus me perdoou. Foi um Poder Superior que me salvou, porque os médicos duvidavam que eu pudesse sobreviver. Agora perdoei a mim mesmo e aprecio uma liberdade que nunca experimentei antes. Abri meu coração e mente para Ele. Quanto mais aprendo, menos sei – uma realidade para a humildade – mas desejo sinceramente manter-me crescendo. Desfruto da serenidade, mas somente quando entrego minha vida totalmente a Deus. Enquanto sou honesto comigo mesmo e peço a Sua ajuda, posso manter esta existência compensadora. Apenas por hoje, me esforço por viver sóbrio e de acordo com Sua vontade.

Agradeço a Deus porque hoje posso escolher não beber. Hoje a vida é linda!



09  SETEMBRO

ABRINDO  NOVAS  PORTAS

(As promessas) estão sendo cumpridas entre nós – às vezes rapidamente e outras lentamente.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

As promessas mencionadas nesta passagem estão vindo pouco a pouco para a minha vida. O que me deu esperança foi colocar o Nono Passo em ação. O Passo me permitiu ver e fixar objetivos em minha recuperação.

Velhos hábitos e comportamentos dificilmente morrem. Praticando o Nono Passo tenho condições de fechar a porta ao bêbado que era e abrir-me novas avenidas como um alcoólico sóbrio.

Fazer reparações diretas é importante para mim. À medida que reparo relacionamentos e comportamentos do passado, posso com mais facilidade viver uma vida sóbria!

Embora tenha alguns anos de sobriedade há horas em que “as coisas velhas” do passado precisam ser cuidadas e o Nono Passo sempre funciona, quando eu o pratico.



10  SETEMBRO

RECUPERAÇÃO  POR  PROCURAÇÃO?

(As promessas) sempre se realizarão se trabalharmos por consegui-las.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Algumas vezes penso: “Fazer estas reparações é ir muito longe! Ninguém deveria humilhar-se desta maneira!”

Porém, é essa mesma humilhação que me leva muito mais próximo à luz do espírito.

A.A. é a única esperança que tenho para continuar recuperando-me e ganhar uma vida de felicidade, amizade e harmonia.



11  SETEMBRO

FAZENDO  REPARAÇÕES

Acima de tudo, deveríamos tentar estar absolutamente seguros de que não estamos demorando por causa do medo.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Ter coragem, não ter medo, são dádivas de minha recuperação. Elas me permitem pedir por ajuda e continuar a fazer minhas relações com um sentido de dignidade e humildade. Fazer reparações pode exigir uma certa dose de honestidade que sinto-me faltar; mas, com a ajuda de Deus e a Sabedoria de outros posso alcançar e encontrar a força para agir. Minhas reparações podem ser ou não aceitas, mas, após estarem feitas posso andar com um sentimento de liberdade e saber que, por hoje, eu sou responsável.



12  SETEMBRO

EU  SOU  RESPONSÁVEL

Pois a disposição de aceitar todas as conseqüências de nossos atos passados e, ao mesmo tempo, de assumir a responsabilidade pelo bem-estar de outros, constitui o próprio espírito do Nono Passo.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Na recuperação, e com a ajuda de Alcoólicos Anônimos, aprendo que a coisa de que tenho medo é justamente a minha liberdade. Ela vem de minha responsabilidade por nada: eu nego, ignoro, culpo, evito. Então um dia eu olho, admito, aceito. A liberdade, a saúde e a recuperação que experimento está em olhar, admitir e aceitar. Aprendo a dizer “sim, eu sou responsável”.

Quando posso dizer estas palavras com honestidade e sinceridade, então estou livre.




13   SETEMBRO

REPARANDO  OS  DANOS

Bom senso, escolher cuidadosamente o momento, coragem e prudência – eis as qualidades que precisamos ter quando damos o Nono Passo.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Fazer reparações pode ser visto de duas maneiras: primeira, reparar o dano. Se eu danifiquei a cerca do vizinho eu “faço um conserto” – e isto é uma reparação direta. A segunda maneira é modificando meu comportamento. Se minhas ações prejudicaram alguém eu faço um esforço diário para não causar mais danos a ninguém. Eu “conserto minha maneira de ser” e isto é uma reparação indireta.

Qual é o melhor modo? O único modo correto, desde que eu não cause danos posteriores, são as duas maneiras. Se o dano já está feito então eu simplesmente “reparo minhas maneiras”. Agir desta maneira me garante fazer reparações honestas.



14   SETEMBRO

PAZ  DE  ESPÍRITO

Submeteremos o assunto a nosso padrinho ou conselheiro espiritual pedindo, sinceramente, a ajuda e orientação de Deus – mas resolvendo atuar de maneira certa, quando ficar claro, custe o que custar?

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Minha crença em um Poder Superior é uma parte essencial do meu trabalho no Nono Passo; perdão, momento certo e motivos corretos são os outros ingredientes. Minha disposição para fazer o Passo é uma experiência de crescimento que abre as portas para novos e honestos relacionamentos com as pessoas a quem prejudiquei. Minha ação responsável me traz mais perto dos princípios espirituais do programa: amor e serviço. Paz de espírito, serenidade e uma fé mais sólida, sem dúvida vêm a seguir.




15  SETEMBRO

UMA  VIDA  NOVA

Sim, há um substituto e é muito mais do que isto. É o companheirismo existente em Alcoólicos Anônimos... A vida, finalmente, terá sentido.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

A vida é melhor sem álcool. A.A. e a presença de um Poder Superior me mantêm sóbrio, mas a graça de Deus faz muito mais: coloca o serviço em minha vida. O contato com o programa de A.A. me ensina uma nova e mais ampla compreensão do que é Alcoólicos Anônimos e o que ele faz mas, o mais importante: ajuda a me mostrar quem eu sou: um alcoólico que precisa da experiência constante do programa de Alcoólicos Anônimos, para que possa viver uma vida que é uma dádiva de meu Poder Superior.



16  SETEMBRO

UNIDOS VENCEREMOS OU PERECEREMOS

... nenhuma associação de homens e mulheres teve em tempo algum, uma necessidade mais premente de contínua eficiência e permanente união. Nós, alcoólicos, percebemos que precisamos trabalhar conjuntamente e permanecer unidos, do contrário a maioria de nós acabará por morrer, cada um sozinho em seu canto.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Tal como os Doze Passos de A.A. foram escritos numa sequência específica por uma razão, assim também é com as Doze Tradições. O Primeiro Passo e a Primeira Tradição tentam inculcar em mim suficiente humildade para me dar uma chance de sobrevivência. Juntos, são a base sobre a qual os Passos e Tradições que se seguem são construídos. É um processo de deflação do ego que me permite crescer, como indivíduo através dos Passos, e como membro participante de um Grupo através das Tradições. Aceitação total da Primeira Tradição me dá condições de deixar de lado as ambições pessoais, medos e raiva quando eles estão em conflito com o bem-estar comum, permitindo-me assim trabalhar com os outros por nossa sobrevivência mútua. Sem a Primeira Tradição, fico com pouca chance de manter a unidade exigida para trabalhar com os outros, eficazmente, e também posso perder as demais Tradições, a Irmandade e a minha vida.



17  SETEMBRO

LIBERDADE  DO  MEDO

Quando, pela graça divina, chegamos a aceitar o nosso destino, compreendemos que podíamos, intimamente, viver em paz e mostrar aos que ainda sofriam do mesmo medo, que eles também poderiam superá-lo. Descobrimos que a libertação do medo era mais importante do que a da penúria.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Valores materiais guiaram minha vida por muitos anos, durante meu alcoolismo ativo. Acreditava que o total de minhas posses me faria feliz, apesar de continuar sentindo-me falido após tê-las conseguido. Assim que vim para A.A. pela primeira vez, descobri uma nova maneira de viver. Como resultado de aprender a confiar nos outros, comecei a acreditar num Poder Superior a mim. Ter fé me libertou da escravidão do ego. Quando os ganhos materiais foram substituídos pelas dádivas de espírito, minha vida tornou-se controlável. Então escolhi compartilhar minhas experiências com outros alcoólicos.



18   SETEMBRO

RECUPERADOS  PELO  AMOR

Toda a nossa valorizada filosofia de autossuficiência precisou ser posta de lado. Isto não foi feito com a antiquada força de vontade; em vez disso, tornou-se um caso de desenvolver a boa vontade de aceitar estes novos fatos da vida. Nós nem corremos da raia nem lutamos. O que fizemos foi aceitar. E então ficamos livres.

O MELHOR DE GRAPEVINE – VOL I

Posso ficar livre de meu velho “eu” escravizante. Transcorrido um certo tempo, reconheço e acredito no bem que está dentro de mim.

Vejo que meu Poder Superior, que me envolve, ajudou-me a recuperar por Seu Amor. Meu Poder Superior torna-se aquela fonte de amor e de força que está operando um milagre contínuo em mim.

Estou sóbrio... e estou grato.



19  SETEMBRO

ACEITAÇÃO

Admitimos que não poderíamos vencer o álcool com os recursos que ainda nos restavam e, assim, aceitamos o fato de que a dependência de um Poder Superior (mesmo que fosse só nosso Grupo de A.A.) poderia resolver o caso até aqui insolúvel. No momento em que formos capazes de aceitar inteiramente esses fatos, iniciou-se nossa libertação da compulsão alcoólica.

NA OPINIÃO DO BILL

A liberdade somente veio para mim com a aceitação de que podia entregar minha vontade e minha vida aos cuidados de meu Poder Superior, que eu chamo Deus. A serenidade infiltrou-se no caos de minha vida, quando aceitei que o que me estava sucedendo era a vida mesma e que Deus me ajudaria em minhas dificuldades! Quando aceitamos as situações como elas são, não como desejo que elas sejam, então posso começar a crescer e ter serenidade e paz de espírito.



20  SETEMBRO

P.S.  COMO  GUIA

Procure fazer com que a sua relação com Ele seja certa e grandes eventos acontecerão a você e a muitos outros. Esta é a nossa Grande Realidade.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Ter um bom relacionamento com Deus parecia ser impossível. Meu passado caótico deixara-me cheio de culpa e remorso, e eu imaginava como este “negócio de Deus” poderia funcionar. A.A. me disse que devo entregar minha vontade e minha vida aos cuidados de Deus, como eu o concebo. Sem ter nada mais para entregar, caí de joelhos e gritei: “Deus, eu não posso fazer isto. Por favor, me ajude!” Foi quando admiti minha impotência, que um raio de luz começou a tocar minha alma, e então uma disposição emergiu para deixar Deus controlar a minha vida. Com Ele como meu guia, grandes coisas começaram a acontecer e encontrei o começo da sobriedade.



21  SETEMBRO

A  ÚLTIMA  PROMESSA

De repente, reconheceremos que Deus está fazendo por nós o que não podíamos fazer sozinhos.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

A última promessa no Livro Azul tornou-se real para mim no primeiro dia de sobriedade. Deus me manteve sóbrio, e em todos os outros dias eu permiti que Ele dirigisse minha vida. Ele me dá força, coragem e orientação para enfrentar minhas responsabilidades na vida, a fim de que eu seja capaz de alcançar a sobriedade e ajudar outros a crescer e a permanecer sóbrios. Ele se manifesta dentro de mim, tornando-me um canal de Sua palavra, de Seu pensamento e de Sua ação. Ele funciona com o meu eu interior, enquanto eu produzo no mundo exterior, porque Ele não faz por mim o que posso fazer por mim mesmo. Devo estar disposto a fazer Seu trabalho, para que Ele possa funcionar através de mim com sucesso.



22   SETEMBRO

UM  “FILÃO  INESGOTÁVEL”

C  omo garimpeiros famintos, depois de apertar o cinturão com a barriga vazia, encontramos ouro. A alegria que sentimos ao sermos libertos de uma vida de frustrações era ilimitada. Papai pensa que encontrou algo melhor do que ouro. Por algum tempo poderá querer guardar o tesouro para si mesmo. Poderá não perceber, de início, que apenas tocou a superfície de uma mina infinita, que só pagara dividendos a explorar para o resto da vida e insistir em doar aos outros toda a produção.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Quando converso com um ingressante em A.A., meu passado me olha diretamente no rosto. Vejo a dor naqueles olhos cheios de esperança, estendo minha mão e então o milagre acontece: fico aliviado. Meus problemas desaparecem quando estendo a mão para essa alma trêmula.



23  SETEMBRO

“EU  ERA  UMA  EXCEÇÃO”

Ele (Bill W.) me disse, gentil e simplesmente: “Você pensa que é um de nós?”

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Durante minha vida de bebedeiras, estava convencido que eu era uma exceção. Pensava que estava além das exigências mesquinhas e que tinha o direito de ser desculpado.

Nunca percebi que o negro contrapeso de minha atitude era o sentimento constante de que eu não “fazia parte”. No início, em A.A., me identificava com os outros somente como um alcoólico.

Que despertar maravilhoso foi para mim perceber que, se seres humanos estavam fazendo o melhor que podiam, então eu também estava! Todas as dores, confusões e alegrias que eles sentiam não eram excepcionais, mas parte de minha vida, tanto quanto de todo mundo.




24  SETEMBRO

VIGILÂNCIA

Quantas vezes temos visto esta verdade demonstrada! “Uma vez alcoólico, sempre alcoólico.” Ao começar a beber, depois de um período de sobriedade, rapidamente estaremos tão mal como antes. E estamos dispostos a parar, não podemos abrigar de forma alguma a esperança de que um dia seremos imunes ao álcool.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Hoje sou um alcoólico. Amanhã não será diferente...

Meu alcoolismo vive dentro de mim agora e para sempre. Não devo nunca esquecer o que sou. O álcool com certeza me matará se falhar em reconhecer e admitir diariamente minha doença. Não estou jogando uma partida na qual a perda é um revés temporário. Estou tratando de minha doença, para a qual não há cura, e que requer somente uma aceitação diária e vigilância.



25  SETEMBRO

PRIMEIRO  AS  COISAS  PRIMEIRAS

Alguns de nós sofremos duros golpes para aprender a seguinte verdade: com ou sem emprego, com ou sem esposa, simplesmente não pararemos de beber enquanto dependermos de outras pessoas antes de depender de Deus.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Antes de vir para A.A., sempre tinha uma desculpa para beber: “Ela disse...” “Ele disse...”, “Fui despedido ontem...”, “Consegui um bom emprego hoje...”. Nenhuma área de minha vida estará bem se beber novamente. Na sobriedade, minha vida se torna melhor a cada dia. Devo sempre me lembrar de não beber, de confiar em Deus e de me manter ativo em A.A. Estou colocando qualquer coisa na frente de minha sobriedade, de Deus e de A.A. no dia de hoje?



26  SETEMBRO

NOSSOS  FILHOS

Pode ser que o alcoólico tenha dificuldades em restabelecer relações amigáveis com seus filhos... Com o tempo verão que ele é um homem novo e entenderão a sua maneira... A partir daí, o progresso será rápido. Ótimos resultados frequentemente se seguem depois de uma reconciliação como esta.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Enquanto no caminho da sobriedade, recebi um presente que não poderia comprar. Foi uma carta de meu filho no colégio dizendo: “Pai, você não pode imaginar como estou contente sabendo que tudo está bem. Feliz Aniversário, eu te amo.” Meu filho já tinha me dito na festa, quando ele me disse chorando: “Papai eu te amo! Não podes ver o que estás fazendo a você mesmo?” Eu não podia. Sufocado pela emoção, eu tinha chorado, mas desta vez quando recebi a carta de meu filho, minhas lágrimas foram de alegria, não de desespero.



27  SETEMBRO

SEM  RESERVAS

Quando cheio de gratidão, o coração por certo só pode dar amor...

NA OPINIÃO DO BILL

Enquanto presto serviços aos outros, se meus sucessos ocasionam grandiosidade, devo refletir no que me levou a este ponto. O que tem sido dado alegremente, com amor, deve ser passado adiante, sem reservas e sem expectativas.

Pois, à medida que cresço, percebo que não importa o quanto eu dou com amor, recebo muito mais em espírito.



28  SETEMBRO

AMOR  SEM  LAÇOS

A experiência prática nos mostra que não há nada melhor para assegurar nossa imunidade contra a bebida, do que o trabalho intensivo com outros alcoólicos.

Alcoólicos Anônimos, Cap. 7; § 1

   No apadrinhamento tive duas surpresas. Primeira, que meus afilhados se preocupavam comigo. O que pensava que era gratidão, parecia mais amor. Eles queriam me ver feliz, crescer e permanecer sóbrio. O fato de saber como eles se sentiam, me manteve longe da bebida por mais de uma vez. Segunda, descobri que eu era capaz de amar alguém responsavelmente, com um respeitoso e autêntico interesse pelo crescimento dessa pessoa. Antes disso, pensava que minha capacidade de cuidar sinceramente do bem-estar dos outros tinha-se atrofiado por falta de uso. Aprender que posso amar, sem cobiça ou ansiedade, foi uma das maiores dádivas que o programa me deu. Gratidão por este presente me manteve sóbrio muitas vezes.




29  SETEMBRO

EXATAMENTE  SIMILAR

O contato frequente com outros ingressantes e os outros membros é o ponto luminoso de nossas vidas.

Alcoólicos Anônimos, Cap.7; § 2

    Um homem veio para a reunião alcoolizado, interrompeu os oradores, ficou de pé e tirou sua camisa, cambaleou para frente e para trás pedindo café, exigiu que o deixassem falar e finalmente insultou o secretário do Grupo e foi embora. Fiquei contente por ele ter estado ali – uma vez mais vi como eu era. Mas também vi como ainda sou e o que ainda poderei ser. Não preciso beber para querer ser a exceção e o centro das atenções. Muitas vezes me senti abusado e respondi abusivamente quando estava simplesmente sendo tratado como uma espécie de ser humano comum. Mais o homem tentava insistir que ele era diferente, mais eu percebia que ele e eu éramos exatamente similares.



30  SETEMBRO

O  CÍRCULO  E  O  TRIÂNGULO

O círculo simboliza A.A. no mundo inteiro e o triângulo simboliza os Três Legados de A.A.: Recuperação, Unidade e Serviço. Dentro do nosso novo mundo maravilhoso, encontramos a libertação de nossa obsessão fatal.

A.A. ATINGE A MAIORIDADE

No início de minha vida em A.A., me empenhei em participar dos seus serviços e achei que a explanação sobre o logotipo de nossa sociedade era muito apropriado. Primeiro, um círculo de amore serviço com um bem equilibrado triângulo em seu interior, cuja base representa nossa Recuperação através dos Doze Passos; os outros dois lados, que representam Unidade e Serviço, respectivamente. Os três lados do triângulo são iguais. Quando fui crescendo em A.A., logo me identifiquei com este símbolo. Eu sou o círculo e os lados do triângulo representam três aspectos de minha personalidade: física, sanidade emocional e espiritualidade, esta última a base do símbolo. Juntos, os três aspectos de minha personalidade se traduzem em uma vida sóbria e feliz.