..Reflexões Diárias - Novembro

 * N O V E M B R O * 

 Acesse abaixo o link do mês. 

*   JANEIRO   *   FEVEREIRO   *   MARÇO   *   ABRIL   *   MAIO   *   JUNHO   *   
JULHO   *   AGOSTO   *   SETEMBRO   *   OUTUBR0   *   NOVEMBRO    *   DEZEMBRO   *





01  de  NOVEMBRO


NÃO  POSSO  MUDAR  O  VENTO


É fácil descuidar do programa espiritual de ação e ficar só na fama que criamos. Se o fizermos, estaremos à beira do perigo, pois o álcool é um inimigo sutil.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 104 ou p. 113 ou p. 143

Meu primeiro padrinho falou-me que havia duas coisas a dizer sobre a oração e meditação: primeiro, tinha que começar e segundo, tinha que continuar. Quando vim para A.A., minha vida espiritual estava em falência; se eu ocasionalmente considerava Deus, o chamava somente quando minha própria vontade era incapaz de uma tarefa ou quando medos avassaladores corroíam meu ego.

Hoje sou grato por uma nova vida, uma vida na qual minhas orações são de ação de graças. Meu tempo de oração é mais para ouvir do que para falar. Hoje eu sei que, embora não possa mudar o vento, posso ajustar minhas velas para navegar. Sei a diferença entre superstição e espiritualidade. Sei que existe uma maneira elegante de estar correto, e muitas maneiras de estar errado.





02  de  NOVEMBRO


MANTENDO  O  OTIMISMO  À  TONA


Os outros Passos podem manter a maioria de nós sóbrios e funcionando de alguma maneira.

Mas o Décimo Primeiro Passo pode nos manter em


crescimento...

A LINGUAGEM DO CORAÇÃO


Um alcoólico sóbrio acha muito mais fácil ser otimista sobre a vida. Otimismo é o resultado natural

de me encontrar gradualmente

 possibilitado de tirar o melhor

proveito de cada situação. À medida que minha sobriedade física continua, 

eu saio do nevoeiro, ganho uma perspectiva mais clara, 

e posso determinar melhor que

curso de ação tomar.


A sobriedade física é tão vital que posso adquirir um maior potencial desenvolvendo uma disposição

 sempre crescente para valer-me da

orientação e direção de um Poder Superior. Minha capacidade para fazer isto vem do meu aprendizado – 

e prática – dos princípios do programa de A.A.


A fusão de minha sobriedade física com a espiritual produz a substância de uma vida mais positiva.




03  de  NOVEMBRO


FOCALIZANDO  E  ESCUTANDO


A prática do autoexame, da meditação e da oração estão diretamente interligadas. Usadas separadamente, elas podem trazer muito alívio e benefício.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 86 e 87

Se faço primeiro meu autoexame, tenho certeza de que terei bastante humildade para orar e meditar – porque verei e sentirei a necessidade de fazê-lo. Alguns desejam começar e terminar com a oração, deixando um intervalo para o autoexame e a meditação, enquanto outros começam com a meditação, escutando os conselhos de Deus sobre seus defeitos ainda escondidos ou não reconhecidos. Outros ainda se empenham num trabalho escrito e verbal de seus defeitos, terminando com uma oração de louvor e de ação de graças. Estes três — auto-exame, meditação e oração — formam um círculo sem começo nem fim. Não importa onde ou como eu começo, aos poucos chego ao meu destino: uma vida melhor.





04  de  NOVEMBRO


UMA DISCIPLINA DIÁRIA


...quando essas práticas (auto-exame, meditação e oração) estão logicamente relacionadas e interligadas, resultam em uma base inabalável para toda a vida.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 86 e 87

Os últimos três Passos do programa invocam a disciplina amorosa de Deus sobre a minha natureza obstinada. Se dedico apenas alguns momentos toda a noite para uma revisão dos pontos mais importantes do meu dia, junto com o reconhecimento daqueles aspectos que não me agradam muito, eu ganho uma história pessoal de mim mesmo, uma história que é essencial à minha caminhada para o auto conhecimento.

Fui capaz de perceber meu crescimento, ou a falta dele, e pedir numa prece para ser aliviado desses defeitos de caráter contínuos que me causam sofrimento. Meditação e oração também me ensinam a arte de concentrar-me e escutar.

Verifico que a confusão do dia se acalma quando rezo por Sua orientação e vontade. A prática de pedir a Ele que me ajude em meus esforços para a perfeição coloca uma nova perspectiva ao tédio de cada dia, porque sei que existe honra em qualquer trabalho bem feito. A disciplina diária de oração e meditação me manterá em boa condição espiritual, capaz de encarar qualquer coisa que o dia me traga, sem pensar em uma bebida.




05  de  NOVEMBRO


“A  QUALIDADE  DA  FÉ”


Esta... tem que vir com a qualidade da fé... Jamais havíamos nos examinado, no sentido profundo e significativo... Nem sequer havíamos aprendido a rezar da maneira certa. Sempre havíamos dito: “Concedei-me as coisas que desejo” ao invés de: “Seja feita a Vossa vontade.”

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 28

Deus não me dá posses materiais, nem tira meu sofrimento ou me poupa dos desastres, mas Ele me dá uma boa vida, a habilidade de seguir em frente, e paz de espírito. Minhas orações são simples: primeiro, elas expressam minha gratidão pelas boas coisas em minha vida, independente de como foi duro para mim encontrá-las; e segundo, peço somente a força e a sabedoria para fazer a Sua vontade. Ele responde com soluções para os meus problemas, reforçando minha capacidade para superar as frustrações do dia, com uma serenidade que eu não acreditava que existisse, e com a força para praticar os princípios de A.A. em todos os meus assuntos diários.



06  de  NOVEMBRO


INDO  COM  O  FLUXO

 

Procuramos, através da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, na forma em que O concebíamos...


OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 28

As primeiras palavras que falo, quando levanto de manhã são: “Oh! Deus, me levanto para fazer a Tua vontade!”

Esta é a oração mais curta que conheço e ela está profundamente enraizada em mim. A oração não muda a atitude de Deus para comigo: ela muda minha atitude para com Deus.

Distinta da oração, a meditação é um tempo calmo, sem palavras. Estar centrado é estar fisicamente relaxado, emocionalmente calmo, mentalmente focalizado e espiritualmente consciente. Uma maneira de manter o canal aberto e melhorar meu contato consciente com Deus, é manter uma atitude de gratidão. Nos dias em que sou grato coisas boas parecem acontecer em minha vida. No momento que começo a xingar as coisas na minha vida o fluxo do bem para. Deus não interrompeu o fluxo: minha própria negatividade é que o interrompeu.



07  de  NOVEMBRO


SOLTE-SE  E  ENTREGUE-SE  A  DEUS


... rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós, e forças para realizar essa vontade.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 85

Quando eu “me solto e me entrego a Deus”, penso mais clara e sabiamente. Sem ter que pensar a respeito, rapidamente me livro das coisas que me causam dor e desconforto. Como acho difícil me livrar da espécie de pensamentos e atitudes preocupantes que me causam uma imensa angústia, tudo que preciso fazer nestas horas é permitir que Deus, como eu O concebo, me liberte delas e no mesmo instante me solto de pensamentos, recordações e atitudes que estão me incomodando.

Quando recebo ajuda de Deus como eu O concebo, posso viver minha vida um dia de cada vez e lidar com os desafios que apareçam no meu caminho. Somente então posso viver uma vida de vitória sobre o álcool, numa sobriedade confortável.




08  de  NOVEMBRO


UMA  AVENTURA  INDIVIDUAL


A meditação é algo que sempre pode ser desenvolvido. Ela não tem limites, tanto na extensão quanto na altura. Embora possamos ser auxiliados por qualquer instrução ou exemplo que encontrarmos, ela é essencialmente uma aventura individual que cada um de nós realiza à sua maneira.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 90

Meu crescimento espiritual é com Deus, como eu O concebo.

Com ele eu encontro meu verdadeiro eu interior. Meditação e oração diárias renovam e reforçam minha fonte de bem-estar. Recebo então a abertura para aceitar tudo que Ele me oferece. Com Deus tenho a afirmação reiterada de que minha jornada será como Ele deseja para mim e, por isto, sou grato de ter Deus na minha vida.




09  de  NOVEMBRO


CAMINHANDO  PARA  A  LUZ

 

Mas, antes de tudo desejaremos a luz. Pouca coisa pode crescer na escuridão. A meditação é nosso passo em direção à luz.


NA OPINIÃO DO BILL

Às vezes penso que não tenho tempo para a oração e a meditação, esquecendo que sempre tinha tempo para beber.

É possível conseguir tempo para qualquer coisa que deseje fazer, se desejar realmente. Quando inicio a rotina de oração e meditação, é uma boa ideia planejar devotar uma pequena quantidade de tempo para ela.

Pela manhã leio uma página de um dos livros da Irmandade e à noite ao deitar-me digo “Obrigado, Deus”.

Quando a oração torna-se hábito, aumento o tempo que dedico a ela, sem mesmo notar o espaço que ela toma no meu dia ocupado. Se tenho dificuldades para rezar, apenas repito a Oração do Pai Nosso, porque ela realmente cobre tudo. Então penso nos motivos que tenho para estar grato e digo uma palavra de agradecimento.

Não preciso me fechar num gabinete para rezar. A oração pode ser feita até numa sala cheia de gente. Eu apenas me concentro por um instante. À medida que a prática da oração continua, percebo que não preciso de palavras, pois Deus pode ouvir e ouve meus pensamentos através do silêncio.




10  de  NOVEMBRO

UMA  SENSAÇÃO  DE  PERTENCER

Talvez uma das maiores recompensas que conseguimos obter com a meditação e a oração, seja a íntima convicção de que passamos a fazer parte

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 93

É isso: “fazer parte”.

Após uma sessão de meditação, sabia que o sentimento que experimentava era uma sensação de fazer parte, porque me sentia tão à vontade. Eu sentia muita quietude interna, com mais disposição para deixar de lado pequenas irritações.

Apreciava meu senso de humor. O que também experimento na minha prática diária é o puro prazer de pertencer ao fluxo criativo do mundo de Deus. Como é favorável para nós, que a oração e a meditação estejam escritas diretamente em nossa maneira de vida em A.A.




11  de  NOVEMBRO


ACEITAR  A  SI  MESMO


Sabemos que o amor de Deus vela sobre nós. Enfim, sabemos que quando nos voltarmos para Ele, tudo estará bem conosco, agora e para sempre.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Rezo para estar sempre disposto a recordar que sou filho de Deus, uma alma divina numa forma humana, e que a tarefa mais urgente e básica na minha vida é aceitar, conhecer, amar e cuidar de mim mesmo. Quando me aceito, estou aceitando a vontade de Deus. Quando me conheço e me amo, estou conhecendo e amando a Deus. Quando cuido de mim, estou agindo sob a orientação de Deus. Rezo para ter disposição de abandonar minha arrogante autocrítica e louvar a Deus humildemente, aceitando-me e cuidando de mim mesmo.




12  de  NOVEMBRO

PENSAMENTOS  MATINAIS

Pergunte-Lhe, na sua meditação matinal, o que você pode fazer, a cada dia, por aquele que ainda está doente.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 176 ou p 191.

Por muitos anos ponderei sobre a vontade de Deus para mim, acreditando que talvez um grande destino tivesse sido preparado para minha vida. Afinal, tendo nascido numa determinada religião, não me tinham dito que eu era um “escolhido”?

Finalmente, quando considerei a passagem acima, me ocorreu que a vontade de Deus para mim era simplesmente de que praticasse o Décimo Segundo Passo todo dia. Além disso, deveria fazer isto com o melhor de minha habilidade. Logo aprendi que a prática me ajuda a manter minha vida dentro do contexto do dia de hoje.




13  de  NOVEMBRO


OLHANDO  PARA  FORA


Pedimos, sobretudo, que sejamos libertados do egoísmo e tomamos o cuidado de não pedir nada exclusivamente para nós. Porém, podemos pedir algo para nós mesmos, sempre que esse algo ajudar aos outros. Cuidamos de nunca rezar por motivos egoístas.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 176 ou p 191.

Como alcoólico ativo, eu permitia que o egoísmo corresse solto em minha vida. Eu era tão vinculado à minha bebida e a outros hábitos egoístas, que as pessoas e os princípios morais vinham em segundo lugar. Agora, quando rezo pelo bem-estar dos outros, ao invés de pelos meus “próprios motivos egoístas”, eu pratico uma disciplina de me soltar dos vínculos egoístas, cuidando de meus companheiros e me preparando para o dia em que serei solicitado a me soltar de todos os vínculos da terra.




14  de  NOVEMBRO


INTUIÇÃO  E  INSPIRAÇÃO


… pedimos a Deus inspiração, um pensamento intuitivo ou uma decisão. Relaxamos e seguimos com calma. Não lutamos.


ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Eu invisto o meu tempo no que realmente amo. O Décimo Primeiro Passo é uma disciplina que me dá condições de ficar junto com meu Poder Superior, lembrando-me que, com a ajuda de Deus, intuição e inspiração são possíveis.

A prática deste Passo conduz ao amor-próprio. Na tentativa consistente para melhorar meu contato consciente com um Poder Superior, sou sutilmente lembrado do meu passado doentio, com suas estruturas de pensamentos grandiosos e sentimentos falsos de onipotência. Quando peço por força para realizar a vontade de Deus para mim, torno-me consciente da minha impotência. Humildade e um saudável amor-próprio são compatíveis, um resultado direto de trabalhar o Décimo Primeiro Passo.




15  de  NOVEMBRO


MANUTENÇÃO  VITAL


Aqueles de nós que estão se utilizando regularmente da oração seriam tão incapazes de dispensá-la como ao ar, ao alimento ou à luz do sol, tudo pela mesma razão. Quando recusamos ar, luz ou alimento, o corpo sofre. Se virarmos as costas à meditação e à oração, também estamos negando às nossas mentes, emoções e intuições, um apoio imprescindível.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

O Décimo Primeiro Passo não precisa me esmagar. O contato consciente com Deus pode ser tão simples e tão profundo como o contato com outro ser humano. Posso sorrir. Posso escutar. Posso perdoar. Todo encontro com o outro é uma oportunidade para a oração, para reconhecer a presença de Deus dentro de mim.

Hoje posso me aproximar um pouco mais do meu Poder Superior. Quanto mais procuro a beleza do trabalho de Deus nas outras pessoas, mais seguro estarei de Sua presença.




16  de   NOVEMBRO

UM  ALÍVIO  DIÁRIO

O que temos na realidade é um alívio diário, que depende da manutenção de nossa condição espiritual.

A LCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 104 ou p. 114

Manter minha condição espiritual é como fazer exercícios todo dia, planejando a maratona, nadando, correndo. É permanecer em boa forma espiritualmente, e isto requer prece e meditação. A mais simples e mais importante maneira de melhorar meu contato consciente com o Poder Superior é rezar e meditar. Sou impotente perante o álcool como sou para fazer voltarem as ondas do mar; nenhuma força humana teve o poder para vencer meu alcoolismo. Agora sou capaz de respirar o ar de alegria, da felicidade e da sabedoria. Tenho o poder para amar e reagir aos eventos à minha volta com os olhos de uma fé em coisas que não são aparentes. Meu alívio diário significa que não importa o quanto as coisas pareçam ser difíceis e dolorosas. Hoje eu sempre posso recorrer à força do programa para permanecer liberto de minha sutil, frustradora e poderosa doença.




17  de  NOVEMBRO

SUPERANDO  A SOLIDÃO

Quase sem exceção, os alcoólicos são torturados pela solidão. Mesmo antes de nossas bebedeiras se tornarem graves e as pessoas começarem a se afastar de nós, quase todos sofremos a sensação de estar sós.

NA OPINIÃO DO BILL p. 90

As agonias e o vazio que muitas vezes senti por dentro ocorrem cada vez menos na minha vida hoje. Aprendi a enfrentar a solidão. Somente quando estou sozinho e calmo é que sou capaz de me comunicar com Deus, pois Ele não me pode alcançar quando estou perturbado. É bom manter contato com Deus à toda hora, mas é absolutamente essencial que, quando parece que tudo vai mal, eu mantenha este contato através da prece e da meditação.



18  de  NOVEMBRO

UMA  REDE  DE  SEGURANÇA

Às vezes... somos acometidos por uma rebelião tão mórbida que simplesmente não rezamos. Quando estas coisas acontecem, não devemos ser demasiadamente rigorosos conosco. Devemos apenas voltar à prática da oração tão logo pudermos, fazendo o que sabemos ser bom para nós.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 93

Algumas vezes grito, bato o pé e dou as costas parameu Poder Superior. Então minha doença me diz que sou um fracasso e que, se continuar zangado, com certeza irei beber. Nesses momentos de obstinação é como se eu estivesse escorregando de um penhasco e uma mão me apanhasse. A mensagem acima é a minha re o de de segurança, no sentido de que me instiga a tentar algum novo comportamento, como o de ser amável e paciente comigo mesmo. Ela me garante que meu Poder Superior esperará até eu estar disposto mais uma vez a arriscar a me entregar, cair na rede e rezar.




19  de  NOVEMBRO

EU  ESTAVA  CAINDO  RÁPIDO

Nós A.A.s somos pessoas ativas, desfrutando da satisfação de lidar com as realidades da vida... Portanto, não é de se estranhar que, com frequência, façamos pouco caso da meditação e da oração séria, como não sendo coisas de real necessidade.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 85

Eu estava escorregando para fora do programa já há algum tempo, mas foi preciso a ameaça de uma doença terminal para me trazer de volta e, particularmente, para a prática do Décimo Primeiro Passo de nossa abençoada Irmandade. Embora tivesse quinze anos de sobriedade e fosse ainda muito ativo no programa, sabia que a qualidade de minha sobriedade caíra bastante. Dezoito meses mais tarde, um exame revelou um tumor maligno e o prognóstico de morte certa dentro de seis meses. O desespero se instalou quando me registrei em um programa de reabilitação, após o qual sofri dois pequenos ataques que revelaram dois grandes tumores no cérebro. Enquanto ia atingindo novos fundos de poço, eu me perguntava por que isto estava acontecendo comigo. Deus permitiu que eu reconhecesse minha desonestidade e que me tornasse capaz de aprender novamente. Milagres começaram a acontecer.

Mas basicamente reaprendi o significado total do Décimo Primeiro Passo. Minha condição física melhorou dramaticamente, e minha doença é insignificante, comparada com o que quase perdi.



20  de  NOVEMBRO

“TUA  VONTADE, NÃO  A  MINHA”

... sempre que tivéssemos de fazer determinados pedidos, faríamos bem em acrescentar esta ressalva: “... se for de Tua vontade.”

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 91

Eu peço simplesmente que durante o dia Deus coloque em mim o melhor entendimento de Sua vontade que eu possa ter, e que me conceda a graça de poder executá-la.

No transcorrer do dia posso fazer uma pausa quando diante de situações que precisam ser enfrentadas e de decisões que precisam ser tomadas, e renovar o pedido simples: “Seja feita a Tua vontade, não a minha.”

Devo ter sempre em mente que em toda situação eu sou responsável pelo esforço e Deus é responsável pelo resultado. Posso “Soltar-me e entregar-me a Deus.”, repetindo humildemente: “Seja feita a Tua vontade e não a minha.” Paciência e persistência na procura de Sua vontade me libertarão da dor de expectativas egoístas.



21  de  NOVEMBRO

UMA  ORAÇÃO  CLÁSSICA

“Ó Senhor! Faze de mim um instrumento de Tua paz; Onde há ódio, faze que eu leve o amor; onde há ofensa que eu leve o perdão; onde há discórdia que eu leve a união; onde há dúvidas que eu leve a fé; onde há erros que eu leve a verdade; onde há desespero que eu leve a esperança; onde há tristeza que eu leve a alegria; onde há trevas que eu leve a luz!

Oh! Mestre! Fazei que eu procure menos ser consolado do que consolar; ser compreendido do que compreender; ser amado do que amar. Porque é dando que se recebe; é perdoando que se é perdoado; e é morrendo que se vive para a Vida Eterna."

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 88

Não importa em que parte do meu crescimento espiritual me encontre, a oração de São Francisco me ajuda a melhorar meu contato consciente com o Deus do meu entendimento. Penso que uma das grandes vantagens de minha fé em Deus é que eu não O entendo. Eu peço simplesmente que durante o dia Deus coloque em mim o melhor entendimento de Sua vontade que eu possa ter, e que me conceda a graça de poder executá-la. Pode ser que meu relacionamento com meu Poder Superior seja tão proveitoso, que eu não precise entender. Tudo que sei é que se pratico o Décimo Primeiro Passo regularmente, da melhor maneira que posso, continuarei a melhorar meu contato consciente, conhecerei a Sua vontade para comigo e terei forças para executá-la.



22  de  NOVEMBRO

SOMENTE  DOIS  PECADOS

... existem somente dois pecados; o primeiro é interferir no crescimento de outro ser humano, e o segundo é interferir no nosso próprio crescimento.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

Felicidade é um estado ilusório. Quantas vezes minhas “preces” para os outros envolvem orações “escondidas” para meu próprio benefício? Quantas vezes a minha procura pela felicidade é uma pedra no caminho do crescimento do outro ou até do meu próprio? Procurar crescer através da humildade e da aceitação nos traz coisas que dificilmente parecem ser boas, saudáveis e vitais. Porém, olhando para trás, posso ver que a dor, as lutas e os reveses, todos contribuíram, eventualmente, para a serenidade, através do meu crescimento no programa.

Peço ao meu Poder Superior que me ajude a não impedir o crescimento de outra pessoa ou a mim próprio.




23  de  NOVEMBRO



LEVANTE  A CABEÇA  PARA  A  LUZ

Acredite mais profundamente: Levante a cabeça para a Luz, ainda que no momento você não possa ver.”                                                                                                                       

Na Opinião do Bill, p.3

Num domingo de outubro, durante minha meditação matinal, olhei pela janela a árvore de freixo no pátio da frente. Uma vez mais fui vencido pela sua magnífica cor dourada! Enquanto olhava com admiração a obra de arte de Deus, as folhas começaram a cair e, dentro de minutos, os galhos estavam nus. A tristeza me assaltou quando pensei nos meses de inverno à frente, mas enquanto estava refletindo no processo anual do outono, a mensagem de Deus apareceu. Como as árvores, despidas de suas folhas no outono, germinam novas flores na primavera, eu, despojado de meus modos compulsivos e egoístas removidos por Deus, posso florescer como um sóbrio e alegre membro de A.A.
Obrigado, Deus, pela mudança das estações e por minha vida em mudança contínua



24  de  NOVEMBRO

UMA  BUSCA  UNIVERSAL

Seja ágil em perceber onde as pessoas religiosas estão certas. Faça uso do que elas lhe oferecem.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 107 ou p. 116

Eu não pretendo ter todas as respostas em assuntos espirituais. Nem pretendo ter todas as respostas sobre alcoolismo. Existem outros que também estão engajados numa busca espiritual. Se mantenho a mente aberta sobre o que os outros têm a dizer, tenho muito a ganhar. Minha sobriedade é grandemente enriquecida e minha prática do Décimo Primeiro Passo é mais proveitosa, quando faço uso tanto da literatura e as práticas de minha religião judaico-cristã, bem como dos recursos de outras religiões.

Assim, recebo apoio de muitas fontes para ficar longe do primeiro gole.




25  de  NOVEMBRO

UMA  TRADIÇÃO  PODEROSA

Alguns anos antes da publicação do livro “Alcoólicos Anônimos” não tínhamos nome... Por pequena maioria, o veredito foi que nosso livro deveria se chamar “A Saída”... Um de nossos primeiros membros solitários... descobriu que exatamente doze livros já eram intitulados “A Saída”... Então o título “Alcoólicos Anônimos” veio a ser a primeira escolha. Assim foi que conseguimos um nome para nosso livro de experiência, um nome para o nosso movimento e, como estamos agora começando a ver, uma tradição de mais alta importância espiritual.

A TRADIÇÃO DE A.A. – COMO SE DESENVOLVEU

Começando com a decisão momentânea de Bill em Akron, de fazer uma chamada telefônica ao invés de visitar o bar do hotel; quantas vezes um Poder Superior se fez sentir em momentos cruciais de nossa história! Naqueles primeiros dias a importância que o princípio do anonimato iria adquirir, foi então ainda pouco percebida.

Parece ter havido um elemento de chance mesmo na escolha do nome para nossa Irmandade.

Deus não é estranho ao anonimato, e muitas vezes aparece nos negócios humanos com a aparência de “sorte”, “chance” ou ”coincidência”. Se o anonimato, de alguma forma fortuita, tornou-se a base espiritual de nossas Tradições, talvez Deus estivesse agindo anonimamente em nosso benefício.



26  de  NOVEMBRO

OS  RISCOS  DA  PUBLICIDADE

Pessoas que simbolizam causas e ideias preenchem uma profunda necessidade humana. Nós de A.A. não colocamos dúvida quanto a isso. Mas somos obrigados a reconhecer o fato de que permanecer exposto à curiosidade pública é arriscado, particularmente no nosso caso.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

Como alcoólico recuperado, devo fazer um esforço para colocar em prática os princípios do programa de A.A., que são baseados em honestidade, verdade e humildade. Quando bebia, estava constantemente querendo ser o centro de atenção. Agora que estou consciente de meus erros e de minha anterior falta de integridade, não seria honesto procurar prestígio, mesmo com o propósito justificável de promover a mensagem de recuperação de A.A. Não é muito mais valiosa a publicidade que está centrada em torno da Irmandade e os milagres que ela produz? Por que não deixar as pessoas à nossa volta apreciar por si mesmas as mudanças que A.A. nos trouxe? Esta será a melhor recomendação para a irmandade que qualquer um pode fazer.



27  de  NOVEMBRO

OS  PERIGOS  DAS  LUZES  DA  RIBALTA

A princípio, os jornalistas não conseguiam entender a nossa negativa em permitir qualquer publicidade de caráter pessoal. Nossa insistência no anonimato deixava-os realmente confusos. Mais tarde, eles compreenderam nosso ponto de vista. Ali estava alguma coisa rara no mundo: uma sociedade que dizia querer dar publicidade aos seus princípios e à sua obra, mas não aos seus membros individualmente. A imprensa ficou encantada diante dessa atitude. Desde então os amigos jornalistas começaram a referir-se a Alcoólicos Anônimos com um entusiasmo de fazer inveja aos mais ardorosos de nossos membros.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

É essencial para minha sobrevivência pessoal e da Irmandade, que eu não use A.A. para me colocar nas luzes da ribalta. Anonimato é uma maneira que me permite trabalhar a minha humildade. Uma vez que o orgulho é um dos meus mais perigosos defeitos, praticar a humildade é uma das melhores maneiras de vencê-lo. A Irmandade de A.A. ganha o reconhecimento mundial por seus vários métodos de dar publicidade a seus princípios e seu trabalho, não por seus membros individualmente fazerem propaganda de si próprios. A atração criada por minha mudança de atitudes e meu altruísmo contribuem muito mais para o bem estar de A.A. do que a promoção pessoal.




28  de  NOVEMBRO

ATRAÇÃO  E  NÃO  PROMOÇÃO

Através de numerosas e difíceis experiências, cremos ter chegado a um consenso sobre essas relações. Sob muitos aspectos, é o oposto da prática promocional usual. Verificamos que tínhamos que depender mais do princípio de atração do que de promoção.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 163 e 164

Quando eu bebia, reagia com raiva, autopiedade e desafio contra qualquer um que desejasse me mudar. Tudo que eu desejava então, era ser aceito por outro ser humano simplesmente como eu era. Curiosamente, encontrei isso em A.A. Tornei-me o custódio deste conceito de atração, que é o princípio de relações públicas de nossa Irmandade. É pela atração que posso alcançar melhor o alcoólico que ainda sofre.

Agradeço a Deus por ter-me dado a atração de um bem planejado e estabelecido programa de Passos e Tradições. Pela humildade e pelo apoio de meus companheiros sóbrios, tenho sido capaz de praticar a maneira de vida de A.A. pela atração, não pela promoção.



29  de  NOVEMBRO

GUARDIÕES  ATIVOS

Para nós, contudo, trata-se muito mais do que uma política salutar de relações públicas. É mais do que uma negação do egoísmo. Esta Tradição é um lembrete permanente e prático de que a ambição pessoal não tem lugar em A.A. Nela cada membro se transforma num diligente guardião de nossa Irmandade.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 166

O conceito básico de humildade é expresso na Décima Primeira Tradição. Ela me permite participar completamente do programa numa maneira simples e profunda; ela preenche minha necessidade de ser parte integral de um todo significativo. Humildade me traz mais perto do espírito atual de companheirismo e unicidade, sem o qual eu não poderia permanecer sóbrio.

Lembrando que todo membro é um exemplo de sobriedade, cada um vivendo a Décima Primeira Tradição, posso experimentar liberdade porque cada um de nós é anônimo.



30  de  NOVEMBRO

PROTEÇÃO  PARA  TODOS

Em nível pessoal, o anonimato possibilita à proteção de todos os membros identificados como alcoólicos, uma segurança muitas vezes de especial importância para os recém-chegados. Em nível de imprensa, rádio, TV e filmes, o anonimato acentua igualdade de todos os membros na Irmandade, freando aqueles que, eventualmente, poderiam explorar sua filiação em A.A. para alcançar reconhecimento, poder ou benefício pessoal.

ENTENDENDO O ANONIMATO, p. 5

Atração é a força principal na irmandade de A.A. O milagre de sobriedade contínua de alcoólicos dentro de A.A. confirma este fato todos os dias. Seria perigoso se a Irmandade promovesse a si mesma, publicando através da mídia de rádio e TV a sobriedade de conhecidas personalidades públicas que se tornaram membros de A.A. Se acontecesse dessas personalidades recaírem, estranhos iriam pensar que o nosso movimento não é forte e poderiam questionar a veracidade do milagre do século. Alcoólicos Anônimos não é anônimo, mas seus membros devem ser.