Artigos - 3º Tradição (parte 4)

“Para ser membro de A.A., o único requisito é o desejo de parar de beber.”
**

Chegou afinal o momento em que deveria falar numa reunião. Trememos todos, pois sabíamos o que estava por vir. Ed rendeu tributo à Irmandade, contou como sua família havia se reencontrado, exaltou a virtude da honestidade, relembrou os prazeres do trabalho do Décimo Segundo Passo e, por fim, soltou em altos brados: “Não tolero essa história de Deus! Não passa de uma tolice de gente fraca. Nosso grupo não precisa disso. Não quero saber dessa história! Chega dessa bobagem!”

Uma grande onda de revolta apossou-se dos presentes e todos foram levados conjuntamente a esta resolução: “Fora com ele!”

Os veteranos conduziram Ed para um lado, dizendo-lhe com firmeza: “Você não pode falar dessa maneira à nossa gente. Pare ou vá embora.” Com grande sarcasmo Ed voltou à carga: “Bem, digam-me, é assim mesmo?” Esticou o braço e apanhou numa prateleira um maço de papeis. No topo estava o prólogo do livro Alcoólicos Anônimos, então em preparação. A seguir leu em voz alta: “A única exigência para o ingresso em A.A. é o desejo de parar de beber.” Sem dar tréguas, prosseguiu: “Quando escreveram essa frase, vocês estavam ou não sendo sinceros?”

Desanimados, os mentores se entreolharam, pois sabiam ter sido apanhados desprevenidos. O resultado é que Ed ficou.

Ed não apenas ficou, mas permaneceu sóbrio durante longos meses. Quanto mais tempo ficava a seco, tanto mais vociferava contra Deus. O grupo ficou de tal forma angustiado que toda a caridade fraterna desapareceu. “Quando, meu Deus, quando”, comentavam entre si os homens, “esse sujeito irá encher a cara?”
Cont...
**

( Os Doze Passos e as Doze Tradições )