DP - Toque espiritual

Depois de nove meses em Alcoólicos Anônimos e de alguns escorregões, tomei um tremendo porre de ressentimento e autopiedade, e duas garrafas. Na manhã seguinte 
- uma linda e fresca manhã de primavera 
- tive um despertar alcoólico. "Nunca mais me acontecerá isso!" Sentia-me livre e pronta para aprender tudo de A.A. - um maravilhoso modo de vida, tão simples na estrutura e tão profundo na prática. Não deveremos nunca permitir que o recém-chegado saiba, antes de estar pronto, como Deus revela Seu plano magnífico e nos ensina que o amor significa corresponder. Quatro anos depois, as vicissitudes marcaram encontro em nossa família 
- um desapontamento, uma longa doença terminal e três mortes. Durante aquele período tão triste, certos amigos nos emprestaram um apartamento em uma praia no Sul do país. Foi nesse calmo interlúdio que ocorreu um "momento
elétrico" na minha vida - uma nova percepção concedida por Deus. As asas do espírito se abriram e, desde então, venho aprendendo a usar essas asas. Aprendi que outros desenvolvem essas asas mais lentamente, sem qualquer
"momento elétrico", e que mesmo assim elas são fortes e belas. Aprendi também que outros passaram por essa experiência, porém jogaram fora suas asas, porque pensaram erroneamente que o Absoluto os sustentaria automaticamente. Choro por eles, porque não perceberam que metade da beleza de uma bênção reside na maneira pela qual ela é recebida, e eles não corresponderam. Outrora, talvez de uma forma mais moderada, quase todos experimentaram esse toque do Espírito de Deus - a fugaz sensação da percepção, do amor, da alegria e de que "o mundo é bom". Anteriormente, eu pensava que apenas as circunstâncias especiais tornassem possíveis esses momentos. Acredito agora que, na realidade, esses momentos são premonições daquilo que se pode conseguir, se houver a disposição de dar tempo ao tempo e se fizer um esforço. A paz, o amor e a alegria podem ser encontrados através do raciocínio calmo e da oração honesta. A integridade e a nova conscientização são geradas depois que alguém se relaciona com Deus em um grau mais elevado do que aquele aparentemente possível no dia-a-dia. O clamor do agora fica reduzido; a compreensão é incrementada. Os sentimentos se convertem em algo a explorar e não a abafar. Esses momentos não se constituem em objetivos em si mesmos, mas sim em vínculos fortalecedores em uma cadeia de eventos. Abre-se uma profundidade interior - calma, gloriosa e serena. Há uma conjugação das forças internas com aquelas externas. Um Poder Maior a nós mesmos coloca-nos em sintonia com o mundo. Haverá naturalmente momentos em que o instrumento estará desafinado e experimentaremos então um desejo insaciável de encontrar o tom certo. Esse modo de vida é indiscutivelmente diferente para cada pessoa, porque cada um assume seu verdadeiro eu, tanto em relação aos outros quanto em relação a si mesmo. Tudo se torna cheio de propósito, seja ele pequeno ou grande, feio ou bonito. Na vida do espírito, não existe nada pequeno, nada feio. Paradoxalmente, a introspecção incrementa a importância das outras pessoas e daquilo que nos rodeia. Os cinco sentidos tornam-se mais alertas. A sensação é de totalidade. Ocasionalmente, descubro-me em paz com o mundo durante dias. De repente, essa serenidade desaparece, mas a compreensão permanece. Minhas imperfeições não desapareceram: raiva, autocomiseração, impaciência, inveja, egoísmo, ressentimento. Mas ficaram reduzidas, porque sei agora que, quando não exerço controle sobre essas deficiências, a harmonia da totalidade se esvanece. Meus talentos não foram especialmente aperfeiçoados, mas eu encontro mais alegria naqueles que possuo, através da imersão em cada momento de ação. Meu relacionamento com os outros é mais envolvente, especialmente nos encontros face-a-face. Existe uma maravilhosa sensação de sincronia, durante esses dias de integridade. Não há necessidade de um relógio; cada ação se harmoniza com aquela seguinte. Nenhum momento parece mais importante que o outro; cada momento é completo. Isso, talvez, seja a verdadeira prece. Nada tenho a ver com a alegria que transparece; é como se eu falasse outros idiomas. A forma como isso acontece é um misterioso, mas é admirável notar as reações de surpresa dos outros e saber que também a vida deles pode haver se modificado por um momento. Acredito que a completa integridade esteja esperando por qualquer pessoa que dedique tempo a envidar esforços, através do raciocínio calmo, da oração honesta, das leituras selecionadas e do exercício. Os ingredientes são esses. É uma aventura tão proveitosa, que tudo o mais cai na comparação, fazendo, porém, com que tudo ainda valha a pena.

VIEMOS A ACREDITAR 6/7