Artigos - Um dia de cada vez

"A vida é o dia-a-dia. O hoje é tudo o que temos. E qualquer pessoa pode passar um dia sem beber. Primeiro, tentamos viver no presente só para não beber - e vemos que funciona. E depois que essa ideia se torna parte de nosso modo de pensar, verificamos que viver a vida em pedacinhos de 24 horas é uma forma eficaz e agradável de lidar com outros assuntos também." (Viver Sóbrio, p.17).

Os alcoólicos têm por hábito de viver sempre o passado em busca de coisas que lhes foram boas ou ruins. Gostam de recordações. Muitos são os membros de A.A. em recuperação que vivem se culpando por seu passado alcoólico, torturando-se pelos sofrimentos causados a eles próprios e a outrem. O Primeiro Passo do Programa de Recuperação de Alcoólicos Anônimos é bem claro: "Admitimos que éramos impotentes perante o álcool - que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas."

A admissão da impotência é o primeiro degrau para a libertação. Estamos nos recuperando, portanto, não podemos ficar presos ao passado, nos torturando. Tínhamos perdido nossa fé. Começamos a nos reencontrar através de nossa recuperação. Não poderíamos viver o passado. Aprendemos a viver UM DIA DE CADA VEZ. Para nós é muito mais seguro viver somente o dia de hoje. Diz o membro de A.A.: hoje não bebo, e amanhã? O amanhã pertence a Deus!

Decidímos ficar sem beber UM DIA DE CADA VEZ. Vivemos integralmente este dia sem nos deixar perder em lamentações inúteis ou em planos irrealizáveis. Os dias perdidos jamais voltarão; o amanhã também não está presente. Só existe o hoje, quando podemos criar condições para um amanhã melhor.

Bill W., uma semana antes de 16 de novembro de 1950, por ocasião do falecimento de Dr. Bob, se despediu dele sabendo que se submeteria a uma delicada cirurgia, dizendo-lhe: "Lembra-se do primeiro dia? Você disse: Bob, dou-lhe quinze minutos e falamos por 6 horas, chegamos longe e trouxemos tantos conosco."

Respondeu-lhe Bob: "Foi uma viagem turbulenta mas faria tudo de novo."

"Eu também, Bill, eu também. Como nossas vidas mudaram porque paramos de beber. Só por isso. É tão simples, muito simples. Nada de coisas complicadas. Passo a Passo, dia-a-dia."

Quando chegamos em A.A. há algumas 24 horas, a maioria de nós não acreditava poder alcançar o que alcançamos, vivendo UM DIA DE CADA VEZ, através de nossa coragem, usando sempre a chave da boa vontade com o firme propósito de praticar o nosso Primeiro Legado que é a Recuperação. Portanto, devemos, individualmente, pretender nunca mais beber. Isso é diferente de dizer: "Nunca mais beberei."

 Nos nossos dias de bebedeiras, quando vinham as ressacas físicas, morais e espirituais, juramos, por muitas vezes: Nunca mais."

Em A.A., fazendo o programa de recuperação, de 24 em 24 horas, planejamos e decidimos não beber hoje. Não temos pressa. Somente UM DIA DE CADA VEZ, os objetivos vão se tornando alcançáveis e os problemas solucionáveis. Não nos esqueçamos de que estamos inseridos apenas no hoje e este é o tempo que conta, pois disse Bill: "Você sabe que não tem de carregar todo o A.A. nas costas! Não é sempre a quantidade de coisas boas que você faz, é, também, a qualidade que conta. Além de tudo, faça-o UM DIA DE CADA VEZ."

Em decorrência disto, devemos fazer a todo instante de nosso dia um inventário imediato, feito em meio às perturbações, o que nos pode proporcionar grande ajuda para acalmar as emoções agitadas e violentas. O inventário relâmpago de hoje tem sua aplicação principal para situações emergentes no decorrer do dia.

O inventário rápido é para momentos de altos e baixos, quedas espirituais diárias, especialmente aqueles em que novos acontecimentos nos desequilibram e nos conduzem a errar.

Na realidade, nossa recuperação do alcoolismo começou em uma simples hora de um dia em que resolvemos simplesmente evitar o primeiro gole, após admitir nossa impotência perante ele, adiando-o UM DIA DE CADA VEZ.

(Resumo de tema desenvolvido no V Encontro de A.A.: da Zona da Mata, em São João Del Rei, Minas Gerais)

(VIVÊNCIA Nº 25 Jul/Ago/Set 1993)