Artigos - Um feixe de varas

Da mesma forma que nossas vidas, individualmente, dependem da unidade de propósitos em nossos Grupos, a vida de nossos Grupos depende da unidade e harmonia de A.A. no seu todo.

Individualmente, dentro de um Grupo, nos submetemos a sugestões e princípios espirituais, para podermos nos recuperar do alcoolismo e crescermos. Se nos afastarmos desses princípios espirituais e sugestões, estaremos enfraquecendo e arriscamos adoecer e morrer. É através do compartilhar de experiências, ouvindo com mente aberta, e falando com o coração, que assimilamos o que de bom emana em A.A. e evoluímos em nossa recuperação.

As mesmas sugestões e princípios que seguimos como membros de Grupos, devemos seguir como Grupos da comunidade A.A. Se o Grupo, individualmente, se afastar das Tradições, estará debilitado e também sujeito a morrer.

Uma morte que não é só do Grupo, mas também daquelas pessoas que ainda estão sofrendo e precisando de ajuda do “falecido” Grupo.

Se o Grupo não estiver em harmonia e integrado com os demais, pelos princípios e finalidades de A.A. contidos em suas Tradições, estará indefeso a situações e problemas que o nosso crescimento acarreta. À medida que aumenta o número de Grupos, surge o perigo de isolamento entre nós. Se não mantivermos nossos Grupos em contato comum permanente, compartilhando nossas experiências grupais, os laços que nos unem estarão enfraquecidos. Os Grupos estarão vulneráveis a acontecimentos desastrosos à nossa sobrevivência como Grupos e como membros de A.A.

Convém lembrar que um feixe de varas é difícil de ser quebrado, mas tremendamente fácil quebrar suas varas, uma a uma, isoladamente.

VIVÊNCIA N° 41 -  MAI/JUN  96