DP - Vida vazia?...

Um dia desses fui visitar um companheiro que está afastado do grupo e, conseqüentemente, na “ativa”. Este companheiro me recebeu bem, e desenvolvemos um “papo” amigável e cordial.
441
 
Este companheiro falou bem do programa de ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, continua aceitando ser um alcoólico, mas julga que para ele, durante o período em que esteve freqüentando o grupo, “A SUA VIDA ESTAVA VAZIA...”
 
 
Ao sair, após aquele diálogo, comecei a imaginar: “MINHA VIDA TAMBÉM NÃO ESTARIA VAZIA?...”

Iniciei, então, uma viagem introspectiva através do meu ego, inventariando minha existência. Voltei no tempo e no espaço e me encontrei na época de minhas bebedeiras, às rodas de “amigos” de então e deparei-me com uma “vida cheia”, onde não me faltava o que fazer. Sempre existia algo a ser feito (sempre em torno de uma garrafa).

Nessa viagem, pude novamente encontrar as mazelas vividas, o fundo do poço onde, por fim, me lancei. Sim, minha vida estava “cheia”, repleta de dor, sofrimento e desencontros. A solidão se tornou minha única companhia, e os “amigos” de antes, passaram a me ignorar, pois eu nada mais tinha para oferecer e através de alguns goles “comprar” as amizades.

O tempo passou. Tive a felicidade de encontrar ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, onde pude deter a macha do meu alcoolismo. Os anos foram se passando e uma nova motivação encontrei em minha vida: a satisfação de viver na SOCIEDADE, desfrutando de uma vida feliz e serena, onde muitos dos companheiros de A.A. se tornaram verdadeiros AMIGOS, aos quais nada precisei oferecer para desfrutar de duas amizades.

Assim sendo, hoje posso tranqüilamente dizer: MINHA VIDA ESTÁ CHEIA, cheia de amor, paz, felicidade e acima de tudo, cheia de SOBRIEDADE, que posso compartilhar com tantos outros companheiros de ALCOOLICOS ANÕNIMOS
 
 
(Vivência n° 25 jul/ago/set /1993)