Artigos - Vivenciando a Vivência

O Grupo tem uma reunião semanal dedicada à VIVÊNCIA. Já foram abordados trinta e oito temas com base na Revista.

Em 1985 foi fundada a Revista Brasileira de A.A. de número zero e, posteriormente, a revista número um chamada VIVÊNCIA, que retrata em seu significado literário, o "fato de viver". 
Esta revista é para nós um retrato bimestral do modo de viver dos AAs brasileiros e, porque não dizer também, de muitos amigos de A.A. 
É o fruto de muito sacrifício, noites mal-dormidas, dificuldades financeiras, muitos atropelos. São sugestões não só de membros, como também de muitos não-AAs: médicos, religiosos.. . os profissionais, enriquecendo nossos conhecimentos. 
Hoje temos uma coletânea progressiva, propiciando- nos meios práticos de compreendermos a filosofia de A.A. 
Temos mais é que vivenciá-los, transmiti-los, não só para os que buscam A.A., como para aqueles que não sabem ou não gostam de ler. Quando vivenciamos essa literatura, ficamos mais informados e, conseqüentemente, poderemos transmitir melhor a filosofia de A.A.
Por isso, convidamos todos os Grupos e membros, para que explorem o máximo seu conteúdo, não deixando as revistas apenas como enfeites de nossas estantes. 
Um dos meios mais viáveis de vivenciá-las é através de temáticas, estudos. Quanto mais informado estiver um grupo, mais feliz e completo é o seu desempenho. Só se aprende a ler, lendo! 
Foi pensando nisso que o Grupo Unidos do Parque de A.A. resolveu fazer uso adequado desta Revista. Em reunião de serviço realizada no final de 1994, por unanimidade, decidiu-se transformar a "Reunião de Novos", que ocorre aos domingos (com exceção do último, pois, este é dedicado à reunião de serviço), para estudar e debater alguns artigos da VIVÊNCIA, para o exercício de 1995. O título aprovado para este maravilhoso trabalho foi o título deste artigo: "Vivenciando a Vivência". 
Começamos em primeiro de janeiro, com a revista de número 24 e o tema foi "Anonimato". Por sinal, tema abordado nessa edição. Foi de suma importância, pois havia em nosso Grupo contraditória interpretação. "De priori", foi salutar. 
Cada vez que adentrávamos em suas páginas, mais conhecimento adquiríamos . 
No período de 95, abordamos através da revista os "Três Legados de A.A.: 

Primeiro Legado (Recuperação) - analisamos, discutimos e apreciamos vinte e dois diferentes tópicos e diversos pontos dos nossos Doze Passos.

Segundo Legado (Unidade) - foram oito tópicos, os mais promissores possíveis, para mantermos a Unidade dentro do Grupo, com os Grupos vizinhos, com o público em geral - sem afiliação, é claro! - e com A.A. no seu todo.

Terceiro Legado (Serviço) - assim como o Segundo Legado, também foram oito os temas abordados, despertando o interesse dos membros para o serviço, colocando os princípios acima das personalidades.

Ao todo foram trinta e oito temas abordados. Muito pouco para a quantidade de exemplares trabalhados, doze ao todo. Porém, foi o pontapé inicial para que possamos dar continuidade, não só em 96, como por todo o tempo, pois cada vez surgirão mais exemplares, mais artigos e, conseqüentemente, aumentará em nós o desejo do saber. 
Esperamos, com esse exemplo, despertar o interesse de Grupos e membros, para que seja feito um minucioso exame desta maravilhosa Revista. 
Em nossa comunidade está havendo um verdadeiro despertar, o número de assinantes está crescendo e as divergências estão se atenuando.
Obrigado, VIVÊNCIA!

(Grupo Unidos do Parque/PE)

Vivência nº 41 – maio/junho 1996